29 de jun de 2017

  • Megaoperação prende 62 PMs suspeitos de apoio a tráfico

    Operação mira quase cem PMs do Rio acusados de receber propina de traficantes


    A sede do batalhão de São Gonçalo

    Policiais civis e promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público estadual, cumprem, na manhã desta quinta-feira, 96 mandados de prisão expedidos pela Justiça contra policiais militares acusados de receberem propina de traficantes para não combater o tráfico de drogas em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. A ação foi batizada de operação Calabar — em referência a Domingos Fernandes Calabar, considerado o maior traidor da história brasileira. Além dos PMs, a Justiça expediu também mandados de prisão contra traficantes. No total, são 184 mandados de prisão. O esquema movimentava cerca de um milhão de reais por mês.
    As equipes estão em bairros de Niterói, na Região Metroplitana do Rio, e também da Zona Oeste do Rio. No Ingá, em Niterói, agentes estiveram no prédio do cabo Fernando Cataldo Côrtez, um dos suspeitos de integrar o esquema. Segundo a Polícia Civil, até as 11h30, 49 mandados de prisão contra PMs e 22 contra traficantes haviam sido cumpridos.
    As equipes saindo da Cidade da Polícia
    As equipes saindo da Cidade da Polícia Foto: Rafael Soares / Agência O Globo
    Todos os agentes alvos da operação são praças e foram lotados no 7º BPM (São Gonçalo) entre 2014 e 2016. A quantidade de policiais acusados de corrupção representa cerca de 15% do efetivo da unidade, composta por pouco mais de 700 homens. De acordo com a investigação, semanalmente os agentes recebiam cerca de 250 mil reais de propina do tráfico. Segundo a Polícia Civil, essa é a maior operação de combate à corrupção policial já feita no Estado do Rio.
    A investigação começou em fevereiro de 2016, quando agentes da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) prenderam um suspeito em flagrante, com três armas de fogo e dinheiro em espécie. A partir de então, o homem — apontado como uma espécie de "gerente da propina" do tráfico do município, responsável por centralizar o transporte do dinheiro e o pagamento a diferentes grupos de policiais — aceitou colaborar com os agentes em troca de uma diminuição em sua pena. Ele está sob proteção do estado.
    As equipes em frente a um prédio no Centro de Niterói
    As equipes em frente a um prédio no Centro de Niterói Foto: Rafael Soares / Agência O Globo
    Numa série de depoimentos prestados na especializada, ele esmiuçou como era o esquema de distribuição de propina do tráfico entre os PMs do 7º BPM, apontou os nomes de 96 agentes que recebiam valores semanalmente e entregou uma lista de números de telefones utilizados por policiais e por traficantes responsáveis pelos pagamentos. Segundo o relato do colaborador, o tráfico distribuía cerca de 250 mil reais semanalmente entre PMs que trabalhavam nos Grupos de Ação Tática (GATs), na P-2 (Serviço Reservado) do batalhão, em Destacamentos de Policiamento Ostensivo (DPOs) nos bairros do Salgueiro, de Santa Luzia, de Santa Izabel, do Jockey, do Jardim Catarina, e as ocupações dos morros da Coruja e do Alto dos Mineiros. A entrega do dinheiro era feita, geralmente, nas noites de sábado.
    Em troca do pagamento, os policiais deveriam evitar operações em 44 favelas de São Gonçalo dominadas pela maior facção do Rio. A divisão era feita de acordo com a lotação dos policiais e com o perigo que esses agentes representavam para a facção. Por exemplo: cada GAT — grupos de agentes responsáveis por incursões em favelas — recebia R$ 20 mil por semana; já PMs baseados em cada um dos DPOs recebiam R$ 7,5 mil.
    O dinheiro da propina era entregue para Daniel Soares e Renato Amarelo. Eles repassavam as quantias para os policiais militares.
    Quebra de sigilo telefônico
    Com base nos relatos do colaborador, a Justiça decretou a quebra de sigilo telefônico dos policiais. A partir do monitoramento das linhas, os agentes descobriram que os agentes e os traficantes usavam celulares "buchas" — aparelhos utilizados somente para atividades ilícitas, para dificultar o rastreamento. Todas as ligações telefônicas foram periciadas para verificar se o padrão de voz de pessoas que utilizaram celulares “buchas” coincidia com o dos policiais militares.
    Ao longo das investigações, os agentes descobriram que, mesmo após a prisão de do delator, os valores continuaram a ser pagos. O posto de "gerente da propina" passou a ser ocupado por Daniel Soares, que foi preso ao longo do monitoramento, em abril de 2016, com R$ 9,5 mil num carro. Daniel não aceitou colaborar com as investigações.
    Outra prisão em flagrante realizada pelos agentes da DHNSG durante as investigações foi a do cabo Marcelo Bento Vindile. Ele foi flagrado à paisana num carro, em abril de 2016, com outros três homens, R$ 2,2 mil reais em espécie, duas armas e pinos de cocaína.
    Os PMs acusados vão responder por organização criminosa e corrupção passiva.
    Confira a lista dos policiais militares que são alvo da operação: 



    ADRIANO CAVALCANTI DA COSTA, “CB ADRIANO”
    AGUINALDO CARDOSO DOS SANTOS
    ALLAN MAC CORMICK ROSAS
    ALESSANDRO COSTA DE ASSIS, “SGT ASSIS”
    ALESSANDRO DA SILVA SOUZA, “SD ALESSANDRO”
    ALEX DIAS CORDEIRO
    ALEXANDRE JOSÉ FIGUEIREDO PIMENTEL JÚNIOR, “SD A. PIMENTEL”
    ALEX SANDRO ERNESTO BARROS
    ANDERSON DO NASCIMENTO DA SILVA
    ANDERSON TEIXEIRA PEREIRA
    ANDRÉ CHAGAS DA SILVA
    ANDRE DA SILVA ALEIXO, “SGT ALEIXO”
    ANDRÉ LUIZ DE OLIVEIRA SODRÉ, “SGT SOBRANCELHUDO”
    ANDRÉ TAVARES CASACA DE SOUZA
    ANDRÉ WILLIANS SARMENTO DA SILVA, “WILIAN BICHÃO”
    ANTONIO CLÁUDIO QUINTANILHA MEDEIROS, “SD QUINTANILHA”
    ANTONIO DA SILVA MENDES JÚNIOR “JÚNIOR PREÁ”
    CARLOS ALBERTO PEREIRA DA SILVA JÚNIOR, “SD SILVA JÚNIOR”
    CARLOS EDUARDO CAETANO DE OLIVEIRA PINTO “SGT CAETANO”
    CARLOS EDUARDO CORREA DE SÁ, “SGT CORREA”
    CARLOS EDUARDO MEDINA DA SILVA, “SGT MEDINA”
    CARLOS HENRIQUE DA SILVA OLIVEIRA, “SUB TENENTE OLIVEIRA” ou “CHARUTO”
    CARLOS ORLANDO FRANCO MATOS
    CARLOS MAGNO VILAÇA DE CARVALHO, “SGT VILAÇA”
    CARLOS ROBERTO SOARES NUNES JÚNIOR, “SD NUNES”
    CARLOS VINÍCIUS AMARO DE FREITAS “CB VINÍCIUS”
    CAUÊ SOARES DE SOUZA, “SD CAUÊ”
    CHARLES TERECHOW, ‘”SGT CHARLES”
    CLAUDIO FILIPE DIAS GUEDES “SD GUEDES”
    CRISTIAN BARBOSA, “SUB CRISTIAN”
    CRISTIANO LOPES CARDOSO DOS SANTOS
    DILMAR CORREA DE SOUZA JÚNIOR, “SGT JÚNIOR”
    DOMINIQUE ALVES DE OLIVEIRA, “SD DOMINIQUE”
    DOUGLAS VIANNA COSTA, “SD VIANNA”
    EDINEI DE OLIVEIRA BRAGA, “SGT BRAGA”
    EDUARDO AUGUSTO FERNANDO DE SOUZA, “SGT SOUZA ou SOUZINHA”
    FABIANO MORAES DE SOUZA, “M. SOUZA”
    FABIANO ROSA LIMA “SGT LIMA”
    FABIANO SANTOS DE SOUZA
    FÁBIO DE MATOS SILVEIRA, “SGT MATOS”
    FÁBIO RIBEIRO DA SILVA
    FELIPE VENTURINI PEREIRA, “VENTURINI”
    FERNANDO CATALDO CORTES, “CABO CORTES”
    FERNANDO PINTO DE SOUZA, “SGT FERNANDO”
    FERNANDO VIEIRA BARCELLOS “SGT BARCELLOS”
    FREDSON DO NASCIMENTO PEREIRA
    HUGO SCARPA DE LUCENA, “SCARPA”
    JONHYE SOARES LABRE VIEIRA
    JOSÉ FERNANDO GONÇALVES DE FARIA JÚNIOR, “SGT GONÇALVES”
    JOSÉ EDILSON SOUSA
    JOSÉ RICARDO DE MELO ALVES, “SGT JOSÉ”
    JOSÉ RONALDO DE SÁ JÚNIOR, “SGT SÁ”
    JOSINALDO VIEIRA DO NASCIMENTO, “SGT NASCIMENTO”
    JÚLIO CÉSAR DE MATTOS HARDUIM, “HARDUIM”
    KALTER DA SILVA PAIXÃO, “SD PAIXÃO”
    LEANDRO COSTA CALDAS, “CABO CALDAS”
    LEANDRO FIRMINO SILVA DA CRUZ, “CB FIRMINO”
    LEANDRO MEZAVILA MELO, “CABO MEZAVILA”
    LEONARDO BELGUI MOURA, “SD BELGUI”
    LUIZ CLÁUDIO MARTINS COSTA, “LUIZ FOFOCA”
    MARCELO BENTO VIDILE, “VIDILE”
    MARCELO GOMES SANTIAGO, “SGT SANTIAGO OU SUCURI”
    MARCELO RIBEIRO GOUVEIA, “SGT GOUVEIA”
    MÁRCIO ALEXANDRE XERÉM, “XERÉM”
    MÁRCIO PORTO LAGOAS, “SGT LAGOAS”
    MARCOS ANTONIO DAS CHAGAS CAPULOT, “SD CAPULOT”
    MARCOS MARCELO VIEIRA DA SILVA, “SGT MARCELO”
    MAYCON DA SILVA FERREIRA, “SGT MAYCON”
    MAYCON RILLER HERINGER DE ANDRADE, “RILLER”
    MYCHAEL FONSECA DA SILVA, “SG FONSECA”
    NERY OLIVEIRA DA FONSECA, “OLIVEIRA”
    PABLO MARTINS PEÇANHA, “PABLO”
    PAULO HENRIQUE TENENTE DE FREITAS
    PAULO ROBERTO CAMPOS, “SUB CAMPOS”
    PAULO ROBERTO MIGUEL MARINHO, “HULK”
    RAFAEL DOS SANTOS VIEIRA, “SD DOS SANTOS”
    RAFAEL GOMES BEZERRA DE QUEIROZ, “CABO RAFAEL”
    RAFAEL RODRIGO GARCIA CRUZ, “SGT RODRIGO, vulgo TUBARÃO”
    RAFAEL SILVA DE MORAES, “SGT RAFAEL”
    RAMON DA COSTA MORAES, “SD RAMON”
    RICARDO DO BOMFIM DE SOUZA, “SGT BOMFIM”
    RODRIGO LUIZ PACHECO DE PAULA, “CB DE PAULA”
    ROGÉRIO FERNANDES RODRIGUES “SD FERNANDES”
    RONI SIQUEIRA BRAGA
    RUI CARLOS GRANJA DA SILVA, “SD RUI”
    SANDRO COUTINHO OLIVEIRA, “SGT COUTINHO”
    SERGIO DOS SANTOS ARRUDA, ”SGT ARRUDA”
    SÉRGIO MENEZES DE CARVALHO, “SGT MENEZES”
    TELMO DE SOUZA BARBOSA JÚNIOR, “SD SOUZA JÚNIOR”
    THIAGO MARCOS BARBOZA, “SD MARCOS”
    VINÍCIUS ALVES LIMA, “SGT ALVES”
    VITOR MURY FERREIRA, “SD MURY”
    WAINER TEIXEIRA JÚNIOR, “SGT WAINER”
    WANDER COSTA DE SOUZA, “SGT WANDER”
    WANDERSON DOMINGUES JANUÁRIO, “SGT JANUÁRIO”
    WESLEY CAVALCANTE DE MELO, “CB WESLEY”

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.