11 de jun de 2017

  • LIVRO INFANTIL QUE SUGERE CASAMENTO ENTRE PAI E FILHA FOI DISTRIBUÍDO PELO MEC A TODO O BRASIL


    O livro “Enquanto o Sono Não Vem”, que sugere o casamento entre pai e filha, foi aprovado e distribuído pelo Ministério da Educação (MEC) a escolas públicas de todo o Brasil para ser utilizado por alunos de primeiro ao terceiro ano do ensino fundamental (entre 6 e 8 anos de idade). A obra de José Mauro Brant, da Editora Rocco, está no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), e foi denunciada por profissionais de educação no Espírito Santo.
    O livro inclui o conto “A Triste História de Eredegalda” que fala do pedido de casamento de um rei para uma das filhas. A proposta do pai é que a mãe da menina seja criada deles. Ao recusar o convite do pai, a menina é presa em uma torre, onde passa sede. Ao pedir à mãe e às duas irmãs para beber água, ela não recebe ajuda por ameaças de morte do pai. Ela acaba aceitando o convite do pai para se casar, mas acaba morrendo antes.

    Foto do livro “Enquanto o Sono Não Vem”, distribuído pelo MEC a escolas infantis de todo o Brasil
    O livro foi comprado pelo MEC em processo de seleção realizado em 2014, durante o governo de Dilma Rousseff (PT).
     É absurdo o que acontece em nosso país. Não bastasse termos que lidar com as constantes tentativas de islamização, apologia à homossexualidade e erotização infantil, agora o MEC mostra toda sua vileza ao aprovar semelhante literatura que propagandiza o incesto como coisa aceitável e digna de imitar.
    Com informações Ilisp
  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.