13 de jan de 2017

  • Encontrada fortuna de Cabral: R$ 38 milhões

    Thumb Encontrada fortuna de Cabral: R$ 38 milhões
    Uma decisão do juiz Marcelo da Costa Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, publicada no fim da tarde desta quinta-feira, revela recursos até então desconhecidos do ex-governador Sérgio Cabral, preso desde novembro na Operação Calicute. O magistrado determinou o bloqueio de cotas em um fundo de investimento pertencente a Cabral, com R$ 38,5 milhões. O valor, segundo Bretas, foi descoberto após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) ter enviado a informação ao Ministério Público Federal (MPF).
    Em sua decisão, o magistrado determinou que o dinheiro fique retido porque o montante bloqueado até agora no processo “não atingiu o valor máximo determinado” em sentença anterior, de novembro do ano passado, quando foi deflagrada a Calicute. Os investigadores suspeitam que o grupo ligado ao ex-governador tenha desviado cerca de R$ 224 milhões dos cofres públicos. O GLOBO tentou contato com o Ministério Público e com a defesa de Cabral, mas não teve retorno.
    O surgimento do fundo milionário de Cabral surpreende porque, em novembro passado, em outro processo relacionado à Calicute, que tramita em Curitiba, o Banco Central (BC) havia informado ao juiz Sérgio Moro ter encontrado apenas R$ 454 em contas do ex-governador. Os dados foram obtidos por meio de um sistema informatizado que atende ao Judiciário, conhecido como Bacenjud

    Na última eleição em que concorreu, em 2010, na qual foi reeleito governador do Rio, Cabral havia declarado um total de R$ 843 mil em bens. Ou seja, para chegar aos R$ 38,5 milhões encontrados agora no fundo, o ex-governador precisaria ter multiplicado em mais de 45 vezes o seu patrimônio, nos últimos seis anos. Nas eleições de 2006, Cabral havia declarado R$ 647,8 mil. Nos quatro anos que separaram os dois pleitos, ele aumentou oficialmente seu patrimônio, portanto, em apenas R$ 200 mil.
    Fonte: o Globo
  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.