19 de out de 2016

  • Vídeo: Judeu diz que Brasil se tornou inimigo de Israel por meio do Governo Temer.


    A aprovação da medida levou a reações duras por parte de Israel, como a forte crítica do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.

    Benjamin-NetanyahuA resolução aprovada pela Unesco na última quinta-feira (13), que decidiu que não há nenhuma conexão entre os judeus, Jerusalém e o Monte do Templo, tem causado revolta na comunidade judia e seus apoiadores.
    No Facebook, divulgado no último dia 14 de outubro, um Judeu chamado Ben Avraham, afirmou que ONU – Organização das Nações Unidas, por meio de 24 nações, incluindo o Brasil, que Jerusalém é dos Muçulmanos e não dos Judeus e que por isso se tornou inimigo do povo judeu.
    “O Brasil se tornou inimigo de Israel juntamente com a ONU, porque o Brasil votou a favor dos Muçulmanos serem os donos de Jerusalém”, disseBen Avraham.
    No vídeo, o judeu que está irritado, pede ainda que as empresas judaicas no Brasil abandonem o Brasil.
    “Eu quero solicitar as 35 empresas israelenses que abandonem o Brasil, peço isso como judeu, abandonem o Brasil”. “Você que é judeu, abandone o Brasil, mude do Brasil. Hoje o Brasil é inimigo de Israel”.
    “Todo judeu que presa por Israel, deve abandonar qualquer vínculo com o Brasil”, disparou o judeu.
    Ainda de acordo com Ben Avraham, todas as nações que se levantaram contra Israel fora destruídas, e com o Brasil não será diferente. O judeu disse ainda, que se não derrubarem o Governo Temer, virá uma crise muito maior sobre o Brasil.
    Na ocasião, votaram pelo não reconhecimento de Jerusalém com Israel os seguintes países: Palestina, Brasil, Egito, Argélia, Marrocos, Líbano, Omã, Catar e Sudão. Vinte e quatro nações votaram a favor, 26 se abstiveram e apenas seis foram contra: Estados Unidos, Reino Unido, Lituânia, Países Baixos, Estônia e Alemanha.
    O rabino messiânico Mário Moreno alerta que as nações que se opuseram a Israel na resolução da Unesco poderão sofrer consequências previstas pela Bíblia.
    O rabino observa que haverão consequências para as nações que se posicionaram contra a Terra Santa. “As Escrituras dizem ‘abençoarei os que te abençoarem’ — esse é o comentário que o Eterno faz sobre Abraão. Todos aqueles que se levantam de forma negativa sobre Israel receberão como brinde uma maldição. Isso não sou eu quem digo, são as Escrituras”, disse ele.
    A aprovação da medida levou a reações duras por parte de Israel, como a forte crítica do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu.
    “Obviamente, eles nunca leram a Bíblia”, disse em tom de protesto. “Mas gostaria de aconselhar os membros da UNESCO a visitarem o Arco de Tito, em Roma, onde eles podem ver o que os romanos levaram para lá, depois de terem destruído e saqueado o Monte do Templo há dois mil anos. É possível ver gravado no arco o menorah de sete braços, que é o símbolo do povo judeu, bem como o símbolo do Estado judaico hoje”.
    Veja o vídeo na íntegra:


  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.