12 de out de 2016

  • Hitler tomava decisões sob efeito de cocaína e outras drogas

    Segundo o autor de um livro sobre o uso de estimulantes durante o nazismo, o ditador chegou a tomar decisões importantes sob o efeito dos estimulantes

    Adolf Hitler usava drogas como cocaína, heroína, metanfetamina e morfina, indicou o autor de um livro sobre o abuso de estimulantes durante o período da Alemanha nazista, Nornam Ohler. Segundo o especialista, algumas das mais importantes decisões foram tomadas pelo Führer quando ele estava sob o efeito dessas drogas.
    O autor alemão se baseou em arquivos históricos encontrados em Berlim, como diários do médico pessoal de Hitler, Theodor Morell, para escrever sua obraBlitzed (algo como intoxicado ou “chapado” e também uma referência ao blitzkrieg, a tática de guerra-relâmpago nazista). Segundo os registros, o ditador nazista inicialmente injetava vitaminas para se sentir mais disposto, mas depois passou a usar esteroides e hormônios para curar doenças, até chegar ao uso de cocaína e de um derivado da heroína, a partir de 1943.
    “Chegou a um ponto de evasão da realidade que suas ilusões de tomar o mundo inteiro foram escancaradas e mostradas como eram: meras ilusões, completamente fora da realidade”, afirmou Ohler à emissora britânica BBC. De acordo com o escritor, é possível até observar efeitos da abstinência em vídeos mais próximos do final da Segunda Guerra, quando o acesso a drogas era mais restrito e Hitler tremia durante os discursos.
    Ohler relatou um episódio específico em que, durante uma reunião com o ditador italiano Benito Mussolini em julho de 1943, um eufórico Hitler falou ininterruptamente até convencer o fascista a não apresentar sua rendição aos Aliados. Segundo o especialista alemão, nesse dia o nazista havia utilizado uma droga sintética derivada do ópio, semelhante à heroína. “A situação começou a ficar um pouco constrangedora porque ele realmente estava louco”, comentou em um vídeo elaborado pela BBC.
    O autor afirma também que a Batalha das Ardenas foi arquitetada e comandada por Hitler quando ele estava sob o efeito de cocaína. O episódio citado no livro tratou-se da contraofensiva alemã lançada no final de 1944, usada como um último recurso pelos nazistas contra os Aliados. Ohler afirmou que, ironicamente, Hitler costumava pregar vários tipos de abstinência, inclusive a sexual. Também não bebia café, aboliu a carne de sua alimentação e dizia que “quanto mais um homem sobe na vida, mais precisa se abster”.
    veja.com

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.