3 de abr de 2016

  • Situação de Dilma no STF se complica. Maioria admite investigar presidente por obstrução da Justiça



    STF pode abrir investigação contra Dilma. Segundo fontes, não foi atoa que seu caso ficou na Corte.

    O fato do caso relativo aos grampos ter sido retido no STF pode não ser um bom indicador para o governo. Isto significa que a situação da presidente ainda será analisada pelos ministros, que podem investigar a presidente por tentativa de obstrução da Justiça por ter indicado do ex-presidente Lula para um cargo de ministro. A configuração da situação ficou clara na decisão do plenário desta semana, que manteve no Supremo os grampos de Lula.

    Alguns ministros realmente questionam o teor da conversa de Dilma com Lula a petista, enquanto o governo tenta de todas as formas invalidar as gravações como provas em qualquer processo agora ou no futuro. A situação do Planalto junto ao STF mudou nos últimos dias com o agravamento da crise.

    A postura da Corte em relação ao governo vai bem além da perspectiva sobre o impeachment. Reservadamente, alguns ministros veem indicativos claros que já permitem investigar a presidente por tentativa de obstrução da Justiça.

    "Para afirmar o que a maioria do Tribunal afirmou, é preciso reconhecer que há indícios de infração penal (por parte de Dilma)", diz um ministro que participou do julgamento. Na avaliação dele, o caso só foi mantido na Corte porque há suspeita de irregularidades cometidas pela presidente, que tem prerrogativa de foro. Do contrário, o caso poderia ser conduzido na primeira instância pelo juiz Sérgio Moro.

    Também o  procurador-geral da República, Rodrigo Janot, já deu indicativos de que há gravidade na conversa. No momento, há uma crescente convicção no STF sobre o comprometimento de Dilma em outras esferas, além da inépcia política. Tem a delação de Delcídio, da esposa do marqueteiro do PT, Mônica Moura além do que vem por aí na delação da Odebrecht.

    O ministro Dias Toffoli já sinalizou que se afastou do Planalto se aproximou do ministro Gilmar Mendes. Outros dois ministros, Celso de Mello e Cármen Lúcia, também têm demonstrado decepção com o governo do PT. Fica cada vez mais claro que os nítidos anseios do povo são baseados em fatos bastante concretos. Os ministros começam a concluir que permanecer ao lado deste governo pode significar ficar contra a justiça e contra os interesses do Brasil.

    Via http://www.imprensaviva.com

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.