4 de abr de 2016

  • "O PT irá enterrar a Caixa e Banco do Brasil ainda este ano", denuncia Galli

    O PT pratica manobras rasteiras diante dos olhos dos brasileiros e muitos parlamentares estão de mãos atadas, denunciou Victório Galli.


    Deputado Federal Victório Galli PSC/MT
    No último dia 23 de março, às vésperas de feriado de Páscoa, Dilma Rousseff deu mais uma cartada para enterrar de vez a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. O PT pratica manobras rasteiras diante dos olhos dos brasileiros e muitos parlamentares estão de mãos atadas, denunciou Victório Galli.

    O parlamentar mato-grossense que entrou esta semana com Projeto Legislativo para sustar os efeitos do Decreto 8693/2016 que dará superpoderes ao Ministério da Casa Civil, no mesmo dia em que foi anunciada nomeação de Lula para o comando da pasta, denuncia outra manobra contra a nação. Galli se refere a MP 695 apresentada por Dilma Rousseff em 15 de outubro de 2015.

    A MP 695/2015 tramitou na Câmara dos Deputados e foi aprovada por 280 votos a 157, o texto-base da Medida Provisória. Entre outros itens, a proposta autoriza o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal a comprarem participações em outros bancos ou empresas, inclusive do ramo de tecnologia da informação, seja diretamente ou por meio de suas subsidiárias. No dia 2 de março a MP foi aprovada no Senado Federal e na quarta-feira, 23, a MP foi sancionada pela Presidente da República que responde processo de impeachment por crime de responsabilidade.

    Galli lembrou que sua posição foi contrária a MP desde o início. O parlamentar considerou a Medida Provisória uma forma de usarem esses dois Bancos, a Caixa e o Banco do Brasil, para realizarem compras de empresas sem saúde financeira. “Esta MP é uma porta aberta para negócios que podem trazer muitos prejuízos para a nação. E, o que estava ruim ficou ainda pior, a Presidente vetou artigo que falava em anulação de negócios mal feitos. A cláusula, aprovada no Congresso, que permitia a anulação de negócios, caso fosse verificada uma irregularidade preexistente à aquisição foi retirada por Dilma Rousseff.”, denunciou Galli.

    O parlamentar exemplificou: “Por exemplo, a Caixa Econômica compra uma empresa avaliada em 1 bilhão de reais, mas depois da negociação descobre-se que esta empresa, na realidade, valha somente 200 milhões, seja por um erro na condução da aquisição, seja o motivo que for. Em seguida, a Caixa, então, decide revendê-la para um terceiro que oferece 180 milhões, a lambança estará feita. Caso semelhante ocorreu entre a Caixa, BTG Pactual e o Panamericano em 2011, usando de uma antiga lei muito parecida com esta MP, a Caixa teve um prejuízo próximo de 300 milhões de reais. E, a surpresa é que um dos envolvidos nesta negociata realizada em 2011, o banqueiro André Esteves, está preso por suspeita de envolvimento na operação Lava Jato”.

    A nova carta branca permitindo a Caixa Econômica e o Banco do Brasil comprarem ações de outros bancos e empresas privadas é justificada pelo governo como uma ação importante para o fortalecimento dos dois bancos perante o mercado nacional e internacional.

    “Faço questão de registrar que o PT não age sozinho, há partidos que votam fechado, fieis ao projeto comuno-petista, o PSOL e PC do B estão junto nesta lambança, os mesmos partidos que vão para tribuna pedir o fim da corrupção. Isso precisa ser dito, chega desta hipocrisia, chega deste teatro”, disparou Galli.

    O Deputado Galli reforçou ainda, que esta lei abriu a possibilidade real de compra de empresas e bancos falidos, abrindo margem para negociações escusas.

    “Esta lei é um cheque em branco assinado nas mãos do PT. Este partido está arruinando nosso país, tudo que vem do Planalto já olho com estranheza, suas ações são maquiavélicas e planejadas”, finalizou o deputado de Mato Grosso.


  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.