11 de abr de 2016

  • Homem pedala do Pará a Brasília para pedir impeachment de Dilma

    'Botei na cabeça que Brasília era o lugar para vir', disse José Augusto


    Elza Fiúza/Agência Brasil


    Foram cerca de 2 mil quilômetros pedalando de Altamira, no Pará, até Brasília sobre uma bicicleta sem marcha e na companhia apenas do cachorro Leon, com o único objetivo de pedir o afastamento da presidenta Dilma Rousseff do cargo, conta José Augusto, de 28 anos.

    O jovem, que largou um emprego de armador de ferragens para vir a Brasília, disse ter participado de manifestações a favor do impeachment da presidente Dilma na cidade em que mora, mas sentiu que sua voz não seria ouvida, caso não viesse até a capital do país.

    Leia mais notícias em Política

    “Botei na cabeça que Brasília era o lugar para vir”, disse ele, ao lado de sua bicicleta, semelhante às usadas para fazer entregas de galões de água e sobre a qual montou uma espécie de cozinha móvel. Em uma placa fixada entre as barras do quadro, ele colou um adesivo de um palmo de largura em que se lê: “Impeachment já!”. Sobre o guidão, trouxe amarrada uma bandeira do Brasil.

    “Tive a proteção de Deus”, diz Augusto ao contar que não sofreu acidentes ou assaltos durante os 57 dias do trajeto, percorrido na maior parte pela BR-153. “Vim por causa dessa roubalheira e vou ficar aqui até ela cair”, afirmou ele, que se juntou a um outro grupo de pessoas acampadas no Parque da Cidade, todos apoiadores do afastamento da presidente.

    Via http://www.correiobraziliense.com.br

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.