20 de abr de 2016

  • Brasil está um caso sério: Senadores querem novas eleições para presidente



    Um grupo de seis senadores protocolou nesta terça-feira (19) na Secretaria Geral da Mesa do Senado proposta de emenda à Constituição (PEC) para que as eleições presidenciais sejam realizadas em 2 de outubro deste ano, junto com as eleições municipais. O grupo precisava que 27 senadores subscrevessem a proposta para que o texto fosse protocolado. A PEC contou com a assinatura de 30 parlamentares.

    Agora, o texto deverá seguir para análise da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, para depois ir a plenário, onde precisará contar com os votos de 54  senadores, em dois turnos, para ser aprovada. Se for aprovada, a PEC ainda precisará ser aprovada na Câmara dos Deputados.

    Pela proposta, o presidente eleito assumiria no dia 1º de janeiro de 2017 para um mandato de dois anos. “Seria para cumprir o resto deste mandato”, explicouWalter Pinheiro. Ainda segundo o texto, um eventual segundo turno das eleições aconteceria em 30 de outubro de 2016.

    A ideia foi apresentada pelos senadores João Capiberibe (PSB-AP), Walter Pinheiro (sem partido-BA), Randolfe Rodrigues (Rede-AP),Lídice da Mata (PSB-BA), Paulo Paim (PT-RS) e Cristovam Buarque (PPS-DF).

    Nesta terça-feira, a decisão da Câmara dos Deputados de dar continuidade ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff foi lida no plenário do Senado pelo primeiro-secretário da Casa, senador Vicentinho Alves (PR-TO). Com a leitura, foi aberto automaticamente o prazo de 48 horas estabelecido pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), para que os líderes partidários indiquem os integrantes da comissão especial que vai analisar o processo.

    Os senadores disseram que apresentaram a PEC disseram que a intenção da proposta não é interferir no andamento do processo de impedimento no Senado, mas que não se sentem confortáveis com a forma como o caso está se desenhando. Segundo Walter Pinheiro, a proposta foi redigida juntamente com as assessorias parlamentares dos seis senadores.

    Questionado se os senadores esperam o “aval” da presidente Dilma e do vice Michel Temer para a proposta, Randolfe Rodrigues disse nesta segunda (18) que o grupo de parlamentares não está “procurando” por esse apoio à proposta, mas que seria “a melhor medida” a ser tomada pelos mandatários do Executivo.

    “Não estamos procurando pelo aval da presidente e da vice, mas a melhor medida a ser tomada pela presidente Dilma e pelo vice Michel Temer, para provar que não há uma sangria correndo pelo poder, seria que eles tivessem a coragem de apoiar essa PEC”, disse Randolfe. O parlamentar também disse que a proposta é uma ideia para devolver ao povo “a soberania” de escolher os chefes do Executivo.

    Fonte: G1
  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.