21 de mar de 2016

  • Supremo abre sétimo inquérito contra Renan Calheiros na "lava jato"

    O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tornou-se alvo de sete inquéritos da operação “lava jato” no Supremo Tribunal Federal. A sétima investigação foi autorizada nesta segunda-feira (21/3) pelo ministro Teori Zavascki.
    Renan Calheiros é acusado de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    A decisão do ministro atende a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que pretende apurar supostos repasses feitos pelo doleiro Alberto Youssef, um dos delatores do esquema de desvios na Petrobras, para o senador. O pedido da PGR abrange os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
    Os supostos crimes seriam resultado de propina repassada pelo doleiro Carlos Alexandre de Souza Rocha, conhecido como Ceará, um dos operadores financeiros que trabalhava para Youssef. O pedido da PGR foi feito no dia 11 de março. Na ocasião, Renan negou ter participado de irregularidades e disse que não conhece Alberto Youssef. Com informações da Agência Brasil.
    Revista Consultor Jurídico

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.