24 de mar de 2016

  • Paraguai não vai assinar documento de apoio a presidente Dilma Rousseff O governo




    O governo paraguaio, liderado pelo presidente Horacio Cartes, não vai assinar a declaração preparado pelo Mercado Comum do Sul (Mercosul) ea União das Nações Sul-Americanas (Unasul) para apoiar o presidente do Brasil, Dilma Rousseff. A posição do Executivo foi notificada ontem pelo Ministro Nacional Adjunto dos Negócios Estrangeiros Oscar Cabello Sarubbi, que observou que o Paraguai não aceitará o projecto.

    O diplomata também disse que a posição do governo paraguaio é respeitar as instituições do Brasil, e afirmou que os partists declarações não ser suportada. "Nós não intervir nos assuntos internos dos países", disse o vice-chanceler, que está interinando do Ministério dos Negócios Estrangeiros, na ausência de ministro das Relações Exteriores Eladio Loizaga, que está viajando no Japão.

    Cabelo Sarubbi disse que com tais declarações não vêm para a linha com que se destina. "Respeitamos o respeito à soberania dos países. Nós não suportam tais declarações ", reiterou o diplomata.

    Ambos Mercosul e Unasul solicitado uma declaração de apoio ao presidente brasileiro para a situação confrontados com alegações de corrupção. Mercosul é composto por Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela, enquanto a Unasul, para além destes países integrar Colômbia, Equador, Guiana, Bolívia, Peru e Suriname.

    Ambas as versões estão buscando o "Estado de direito e os valores democráticos" é respeitada e que "confia" que as diferenças internas no país vizinho será resolvido através do diálogo e sob "um regime democrático", a declaração emitida pelo o Ministério das Relações Exteriores do Uruguai, que tem a presidência pro tempore de ambos os blocos.

    ACUSAÇÕES

    Dilma Rousseff, presidente do Brasil, enfrenta uma acusação de suposto caso de obstrução da justiça, como parte de investigações sobre corrupção envolvendo funcionários do seu partido. Neste caso também está sendo investigado o ex-presidente Inácio "Lula" da Silva, que está sob investigação por lavagem de dinheiro e corrupção no caso Petrobras.

    Fonte http://www.postsenoticias72.com.br

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.