23 de mar de 2016

  • Para não serem julgadas por Moro, mulher e filha de Cunha recorrem ao Supremo

    A defesa de Cláudia Cruz e Danielle Cunha, respectivamente mulher e filha do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), recorreu ao Supremo Tribunal Federal para pedir que elas não sejam julgadas pelo juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba e responsável pelos processos da operação “lava jato”. O pedido será julgado pelo ministro Celso de Mello.
    De acordo com os advogados, apesar de não terem foro por prerrogativa de função, Cláudia e Danielle devem responder às acusações na corte devido à ligação com os fatos que envolvem Cunha. No último dia 15, o ministro Teori Zavascki atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República e desmembrou a investigação, deixando no Supremo somente a parte do inquérito referente ao presidente da Câmara.
    A denúncia, apresentada neste mês contra o parlamentar, afirma que Cláudia e Danielle, que também são investigadas, foram beneficiadas pelos recursos que estavam depositados em contas na Suíça atribuídas a Cunha.Com informações da Agência Brasil

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.