29 de mar de 2016

  • Documentos de 2.000 anos estarão na web para consulta

    Fragmentos são um mistério para especialistas, que lutam para decifrá-los


    AG-
    Material se deteriora rapidamente, e há 3.000 partes não digitalizadas
    PUBLICADO EM 29/03/16 - 03h00
    TEL AVIV, ISRAEL. Os Manuscritos do Mar Morto – documentos bíblicos de 2.000 anos descobertos nas cavernas desérticas de Qumran, em Israel – são o maior e mais antigo quebra-cabeça do mundo. Muitos de seus cerca de 20 mil fragmentos – 3.000 deles ainda nem digitalizados – continuam um mistério para especialistas que, há décadas, lutam contra o tempo para encaixar as peças do enigma.
    Com orçamento de € 1,6 milhão da Fundação Alemã de Pesquisa (DFG), israelenses e alemães anunciaram, no fim de fevereiro, o projeto Scripta Qumranica Electronica. Será criado um site onde qualquer um, especialista ou leigo, poderá tentar decifrar as charadas escondidas nos documentos.
    A rápida deterioração dos milhares e minúsculos fragmentos torna a missão urgente. Os pergaminhos não podem ser expostos à luz natural, sob perigo de perderem ainda mais a nitidez ou se desintegrarem.

    Quando os documentos foram encontrados, entre 1946 e 1956, alguns estavam quase intactos graças ao ambiente seco do deserto da Judeia e ao fato de terem passado os últimos 2.000 anos no escuro, dentro de vasos de argila escondidos em cavernas. Mas outros tinham sido reduzidos a pedaços mínimos quase ininteligíveis. Hoje, são mantidos a sete chaves em ambiente especial no Santuário do Livro, do Museu de Israel, em Jerusalém.
    É aí que entra a tecnologia. Ferramentas como reconhecimento de caligrafia e textura dos pergaminhos estão sendo desenvolvidas para ajudar a casar as peças sem tocá-las.
    As ferramentas não servirão só para encaixar fragmentos, mas para ver formas diferentes de montar manuscritos que já pareciam decifrados. O projeto, com prazo de cinco anos para ficar pronto, é uma colaboração entre especialistas em pergaminhos antigos e cientistas da computação. Juntos, eles vão criar um ambiente virtual e dinâmico no qual os fragmentos digitalizados poderão ser consultados por gente de todo o mundo.

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.