" Posso estar sendo chamado de otário por todos os outros deputados que aceitaram fazer isso...". " Só que meus filhos nunca irão precisar me visitar num presídio."   Foi com estas frases que o atual deputado federal Francisco Everardo, pelo Partido Republicano (PR) de São Paulo, mais conhecido como Tiririca, respondeu às indagações do senador Delcídio do Amaral (ex-PT), que citou o nome do parlamentar durante a homologação de sua delação premiada, na última terça- feira, dia 16,  pelo ministro do STF, Teori Zavascki.
 Um fato curioso que chamou a atenção do termo de delação do senador, é que Tiririca teria sido integrante da Comissão que votou pela instalação da CPI da Petrobras. Na ocasião, o ex-parlamentar petista teria mandado um emissário oferecer a quantia de R$ 500 mil para que o deputado votasse contra a comissão. Tiririca reagiu violentamente contra a proposta e o encarregado de Delcídio teve que sair do recinto à base de xingamentos e empurrões, sob a ameaça de ser agredido pelo deputado.  A resposta ao senador veio rápido.
" Delcídio não te chamo de excelência, por que você não é excelente. Nunca mais mande ninguém oferecer dinheiro em troca de votos. (...)  Nem meu partido tem moral de me fazer mudar um voto, quanto mais seu dinheiro sujo".
Tiririca, eleito para o seu segundo mandato, foi conduzido inicialmente ao cargo, com uma votação assombrosa de 1,3 milhões de votos. Ele foi considerado um dos 25 melhores deputados federais do Brasil, a partir de um avaliação que foi realizada por 186 profissionais, para o prêmio Congresso em Foco e que pretende eleger os melhores parlamentares que melhor representam a população brasileira.
Do total de 513 deputados que compõem a Câmara, Tiririca é um dos pouquíssimos parlamentares que mostraram uma grande assiduidade (100%) nas 171 sessões realizadas neste ano. Mesmo nas reuniões de comissões aonde a presença do deputado não é obrigatória, ele se fez presente.
Os especialistas em política se debruçam sobre o fenômeno do palhaço que virou deputado. Afirmam que a sua condução até o Congressso, foi uma forma de protesto dos eleitores insatisfeitos com os atuais que se encontram no poder.
Apesar de profissão de palhaço, ainda quando estava distante da política, Tiririca, na Câmara, trata de assuntos sérios. É de sua autoria, projeto de lei que combate o desperdício de alimentos no Brasil. Ele institui uma política nacional que reduz e procura anular a questão.  

O projeto de lei que combate a perda e melhora o aproveitamento de alimentos no país 

O projeto do deputado Tiririca possui princípios, objetivos  e metas que devem ser alcançadas, tanto a nível estadual quanto municipal. Ele envolve também a iniciativa privada. Baseado nas estimativas da FAO ( Organização da Nações Unidas para a Fome e a Alimentação),  que afirma que a terça parte de todos os alimentos no mundo são desperdiçados, o que gera um impacto negativo muito forte na economia mundial, o parlamentar propõe o envolvimento de todos na questão. A matéria  deverá fazer parte dos currículos escolares. Ele defende que investimentos deverão ser feitos em campanhas de conscientização e na capacitação de mão de obra envolvida desde a produção até a distribuição de alimentos. O objetivo é treinar para que tanto o desperdício possa ser reduzido quanto o aproveitamento possa ser otimizado.  
Apesar de poucos projetos apresentados, que no total foram oito, Tiririca segue sem conseguir aprovar nenhum. Trabalhando muito e produzindo pouco.