26 de mar de 2016

  • CONFIRMADO: Odebrecht vai entregar Lula, Dilma e contas na Suíça em delação à Lava Jato



    Para garantir a obtenção de um acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, a empreiteira se comprometeu a revelar segredos explosivos relacionados a doações da campanha de Dilma, ao ex-presidente Lula e até mesmo informações sobre contas secretas na Suíça. A informação, confirmada foi pela revista Época

    Os três principais executivos da Odebrecht ficaram chocados com a eficiência da Força-tarefa liderada pelo juiz Sérgio Moro quando foram levados para prestar depoimento em Curitiba esta semana. Durante algumas horas, eles tiveram uma amostra do que é a Operação Lava Jato. Apavorados com a precisão das perguntas feitas pelos investigadores e das provas apresentadas a eles, os três tremeram. Logo após terem sido liberados, correram ao encontro do restante da cúpula da empresa.

    Os executivos mandaram a real na reunião com a direção do grupo e confirmaram que a casa havia caído definitivamente, então aconselharam que a Odebrecht faça logo um acordo de colaboração com os investigadores em troca de salvação.

    Não parou por aí. Os três executivos informaram aos aos colegas que não há outra alternativa e adiantaram que, caso a cúpula não concordasse em celebrar um acordo de delação com a Lava Jato, os três estavam decididos a colaborar de qualquer jeito.

    A direção do grupo foi informada que, com base naquilo que a Lava Jato já possuia, não haveria como poupar ninguém. Até mesmo o patriarca Emílio Odebrecht ficaria sob risco de cair.

    Diante da gravidade dos fatos, a Odebrecht decidiu fazer um acordo de delação premiada. O problema - enfrentado inicialmente - foi que a Lava Jato não interessaria celebrar um acordo com base em informações já disponíveis, algo que a direção da Odebrecht se familiarizou após a prisão de seus executivos no último dia 22.

    A conclusão foi a de que as chances de sucesso aumentariam, caso a empreiteira resolvesse abrir novos casos, com a revelação de outros políticos, partidos e obras. Inicialmente, a Odebrecht optou por oferecer o mínimo possível, mas logo percebeu que esta tática não iria funcionar.


    Os procuradores do Paraná não demonstraram nenhum entusiasmo e deixaram claro que as principais condições para negociar incluem a desistência da Odebrecht dos processos na Suíça, que impedem a remessa de provas de pagamentos de propina a políticos de vários partidos e outros funcionários da Petrobras e de órgãos públicos ainda não mencionados. O nome de Lula pode aparecer em remessas ilegais para a Suíça.

    Há cerca de um ano, o pai de Marcelo - Emílio Odebrecht - foi contido por executivos do grupo quando afirmou que “se prenderem o Marcelo, terão de arrumar mais três celas: uma para mim, outra para o Lula e outra para a Dilma”. Por fim, a direção da empresa chegou à conclusão de que deveriam ter feito isso há mais tempo. De lá para cá, a empresa já perdeu U$ 5 bilhões em valor de mercado e enfrenta investigações em vários lugares do mundo.

    Um outro fato que deixou a direção da Odebrecht preocupada foi o anúncio do acordo de Delação de Mônica Moura, a esposa do marqueteiro do PT, João Santana. Mônica, que é muito próxima da presidente Dilma, era responsável por todos os repasses feitos pela empreiteira no Brasil e exterior.

    Após as negociações preliminares com os membros do Ministério Público, a Odebrecht finalmente se comprometeu, no acordo de delação por vir, a entregar provas para a investigação sobre o ex-presidente Lula, a quem contratou para fazer diversas palestras pelo mundo, e fornecer provas de financiamento ilegal de recursos para as campanhas da presidente Dilma Rousseff; inclusive a extensão total dos pagamentos ao marqueteiro do PT, João Santana, no Brasil e no exterior.

    Via http://www.manchette.com.br

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.