23 de fev de 2016

  • Reviravolta no caso Triplex: Lula e Marisa perdem e terão de encarar o Promotor Conserino



    O PT e Lula tentaram de todo jeito ferrar com o Promotor Cássio Conserino do MP/SP, mas, depois da ampla pressão exercida pelo povo na internet, com um verdadeiro fervo nas redes sociais, o tal CNMP voltou atrás e resolveu revogar a suspensão do depoimento de Lula sobre Triplex do Guarujá e ainda determinou que o caso fique nas mãos do promotor Conserino.
    O CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), tem Rodrigo Janot, Procurador Geral da República como presidente.
    Ao que parece, o Ministério Público de todo o país esteve prestes a se rebelar e, por isso, o CNMP voltou atrás.
    ***O conselheiro Valter Shuenquener, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), votou nesta terça-feira (23) pela manutenção de uma investigação sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o promotor Cássio Conserino, que anuciou que já tinha elementos para denunciar o petista por suposta ocultação de patrimônio, relativo a um triplex no Guarujá (SP). Na mesma sessão do CNMP, Shuenquener recomendou a revogação de uma decisão da semana passada que suspendeu a investigação e adiou um depoimento que Lula e a ex-primeira dama Marisa Letícia prestariam na última quarta (17) sobre o caso.
    O Conselho analisou pedido do deputado Paulo Teixeira (PT-SP) para enviar o caso para outro promotor, alegando que o caso foi remetido para Conserino de maneira “encomendada”. O pedido levou à suspensão do depoimento de Lula e Marisa. A decisão final dependia do voto dos 14 conselheiros do CNMP.
    13 conselheiros votaram pela permanência do caso nas mãos de Conseriro, segundo O Antagonista.
    Antes de Shuenquener, a Confederação Nacional do Ministério Público (Conamp) e a Associação Paulista do Ministério Público (ANMP) se manifestaram pela manutenção de Conserino no caso. Para as entidades, o CNMP não pode interferir numa investigação criminal, mas somente decidir sobre matérias administrativas do Ministério Público. ***(Com informações de G1 e O Antagonista)
  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.