28 de fev de 2016

  • "Quando a ética fala mais alto que o dinheiro" - Advogado que salvou casamento com bilhete recebe convite para escrever livro



    http://goo.gl/eyaLSZ | Solteiro, 26 anos e, agora, conhecido em todo o país por seus conselhos matrimoniais, o advogado Rafael Gonçalves está impressionado com a fama repentina que ganhou após compartilhar, na internet, a história de como salvou um casamento com um bilhete. Ele recebeu milhares de mensagens e e-mails pedindo dicas e uma editora propôs que ele escrevesse um livro sobre como salvar um casamento, o que Rafael achou um pouco exagerado.

    — Pessoas do país todo querem tirar dúvidas e que eu trate do divórcio delas. Fui procurado por mais de 20 veículos de comunicação e fiquei realmente surpreso. Acredito nas coisas boas da vida e essas atitudes deveriam ser normais, e não ter essa repercussão toda — disse ao EXTRA.

    Logo após o Carnaval, no dia 16 deste mês, ele foi procurado por uma mulher de 27 anos que buscava o divórcio do marido, de 31 anos, que tinha mudado de comportamento nos últimos meses. Ao conversar com a futura cliente, ele percebeu que o casal ainda tinha uma conexão, não havia traição e o casamento não estava totalmente perdido. Ele, então, questionou a jovem, recomendou que ela pensasse e, na folha com a lista de documentos necessários para a abertura do processo, listou questões que ela deveria responder antes de voltar.

    O “dever de casa” tinha as seguintes perguntas: "Eu fiz tudo que podia para salvar meu casamento?", "O divórcio é a melhor opção hoje?", "Quem são minhas maiores influências?" e "Quantos momentos vocês superaram juntos e como se conheceram?". Na quarta-feira passada, o casal voltou junto ao escritório, agradeceu ao advogado e anunciou que o casamento estava salvo.

    — Conversei, passei a relação dos documentos e ela ficou em dúvida. Falei para ela que antes de jogar algo fora a gente tem que procurar consertar, e como a relação deles é boa, achei que valia a conversa. Quando eles voltaram, brinquei dizendo que tinha perdido uma cliente. O rapaz me respondeu que eu ganhei um amigo — contou.

    Segundo Rafael, os advogados também precisam ser um pouco psicólogos e conversar com o cliente para entender a situação. E, como católico, ele acredita no casamento.

    — Divórcio para mim só em último caso — sintetiza.

    O homem e a mulher, que têm uma filha pequena, preferiram o anonimato porque a família e os amigos deles não sabiam da intenção de se separar. Já a fama do advogado ultrapassou o mundo virtual. Na cidade de São Sebastião do Paraíso, em Minas Gerais, ele tem sido chamado de “conselheiro” pela vizinhança. É no município de 69 mil habitantes e cerca de 120 advogados que ele trabalha, em todas as áreas do Direito, há dois anos.

    Rafael está feliz com o sucesso, e ri do fato de dar dicas sem ter mesmo passado pela experiência do casamento. A inspiração do solteiro são os pais que têm quase 30 anos de casados e, apesar das crises, continuaram juntos.

    — Imagina se numa dessas crises minha mãe tivesse procurado um advogado que a aconselhasse o divórcio? — questiona.

    Por Diana Figueiredo
    Fonte: extra globo
  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.