10 de nov de 2015

  • Inflação atinge nível tão alto que faz poupança desvalorizar cerca de 2% em um ano


    Mil reais depositados na poupança valerão R$ 23,20 menos, ao final de um ano

    Ao fazer um depósito na poupança, o brasileiro perde, em um ano, cerca de 2% do valor investido. Ou seja, em vez de fazer o dinheiro render, a caderneta corrói seu poder de compra, por estar abaixo dos 9,99% de inflação anual, atual estimativa do mercado financeiro para 2015.

    Simulações feitas pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), a pedido do EXTRA, mostram, por exemplo, que mil reais depositados na poupança valerão R$ 23,20 menos, ao fim de um ano. Se o investimento for feito em renda fixa, o ganho é de apenas R$ 5. As projeções consideram um cenário estável de 7,68% ao mês de rendimento na poupança e 10,5% na renda fixa, já descontados os encargos financeiros, como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e o Imposto de Renda (IR).

    Ricardo Macedo, professor de Economia e Finanças do Ibmec-RJ, define o cenário como um retrocesso em termos de conquista social, devido ao aumento da concentração de renda:

    — Quem sofre mais é o pequeno aplicador, que vai ter que sacar da poupança porque, se está desempregado, vai ter que fazer frente às contas do mês. E, se ele não estiver, terá que sacar porque o salário dele não acompanha a evolução dos preços.

    Segundo Macedo, não há saídas para quem tem pouca grana para investir, pois migrar para a renda fixa, por exemplo, requer um tempo mínimo para valer a pena. Quem resgata em até seis meses, por exemplo, paga 22,5% de IR, enquanto quem resgata após dois anos paga 15%.

    — A pessoa vai ter alguns encargos financeiros que não há na poupança.


    Fonte: http://extra.globo.com/noticias/economia/inflacao-atinge-nivel-tao-alto-que-faz-poupanca-desvalorizar-cerca-de-2-em-um-ano-18006355.html#ixzz3r6eIE7Pk


  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.