21 de set de 2015

  • Os corruptos não dormirão mais tranquilos no Brasil! - A PF faz o alerta!


    PF DIZ QUE ‘NINGUÉM DURMA’ É ALERTA PARA CORRUPTOS

    DELEGADO IGOR ROMÁRIO DIZ QUE LAVA JATO NÃO PERDEU FORÇA


    A PF DIZ QUE A NOVA ETAPA DA LAVA JATO É ‘RESCALDO’ DE TRÊS OUTRAS FASES DA 
    INVESTIGAÇÃO, ENTRE ELAS A PIXULECO 2, QUE CITA A SENADORA PETISTA GLEISI HOFFMANN 
    (FOTO: MOISES SILVA/AE)
    A Polícia Federal disse que o nome da nova etapa da Operação Lava Jato, ‘Ninguém durma’, 
    serve de alerta para aqueles que imaginam que as investigações perderam a força. 
    “Fica a dica para quem achava que a Lava Jato diminuiu suas ações e um alerta para quem está 
    envolvido em crime de corrupção no País”, declarou o delegado Igor Romário de Paula, 
    diretor da unidade de combate ao crime organizado da PF em Curitiba, base da missão Lava Jato.
    A PF deflagrou na manhã desta segunda-feira, 21, a Operação ‘Ninguém durma’ para cumprir onze mandados judiciais, entre os quais um de prisão preventiva do executivo José Antunes Sobrinho, sócio da empreiteira Engevix, e outro de prisão temporária de João Augusto Henriques, apontado como lobista do PMDB na Diretoria de Internacional da Petrobrás, gestão de Jorge Luiz Zelada. Henriques teria operado o repasse de US$ 10,8 milhões em propinas para o PMDB, segundo o Ministério Público Federal.
    A PF diz que a nova etapa da Lava Jato é ‘rescaldo’ de três outras fases da investigação, entre elas a Pixuleco 2, deflagrada em meados de agosto com a prisão de Alexandre Romano, o Chambinho, ex-vereador do PT em Americana (SP). Essa investigação cita a senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR) como suposta benefíciária de propinas em negócio relativo a empréstimos consignados no âmbito do Ministério do Planejamento. Por isso, o juiz federal Sérgio Moro enviou ao Supremo os dados da Pixuleco 2. O STF, até agora, não decidiu pelo desmembramento da investigação, travando as apurações sobre empresários e lobistas que não têm foro privilegiado.
    O procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa do Ministério Público Federal, disse que os dados relativos à Operação Pixuleco 2 estão sob apreciação do Supremo Tribunal Federal (STF), por isso a Lava Jato não pode dar continuidade imediatamente a essa investigação específica.
    “Queremos deixar bem claro que a Lava Jato vem trabalhando incessantemente”, declarou o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima. “O material relativo à Pixuleco 2 encontra-se numa situação de competência do Supremo Tribunal Federal e, por isso, não podemos dar continuidade nas investigações na Pixuleco 2. Talvez isso tenha criado uma dificuldade grande e deu a impressão de que a Lava Jato estava perdendo força.” (AE)
    A Polícia Federal disse que o nome da nova etapa da Operação Lava Jato, ‘Ninguém durma’, serve de alerta para aqueles que imaginam que as investigações perderam a força. “Fica a dica para quem achava que a Lava Jato diminuiu suas ações e um alerta para quem está envolvido em crime de corrupção no País”, declarou o delegado Igor Romário de Paula, diretor da unidade de combate ao crime organizado da PF em Curitiba, base da missão Lava Jato.
    A PF deflagrou na manhã desta segunda-feira, 21, a Operação ‘Ninguém durma’ para cumprir onze mandados judiciais, entre os quais um de prisão preventiva do executivo José Antunes Sobrinho, sócio da empreiteira Engevix, e outro de prisão temporária de João Augusto Henriques, apontado como lobista do PMDB na Diretoria de Internacional da Petrobrás, gestão de Jorge Luiz Zelada. Henriques teria operado o repasse de US$ 10,8 milhões em propinas para o PMDB, segundo o Ministério Público Federal.
    A PF diz que a nova etapa da Lava Jato é ‘rescaldo’ de três outras fases da investigação, entre elas a Pixuleco 2, deflagrada em meados de agosto com a prisão de Alexandre Romano, o Chambinho, ex-vereador do PT em Americana (SP). Essa investigação cita a senadora Gleisi Hoffmann (PT/PR) como suposta benefíciária de propinas em negócio relativo a empréstimos consignados no âmbito do Ministério do Planejamento. Por isso, o juiz federal Sérgio Moro enviou ao Supremo os dados da Pixuleco 2. O STF, até agora, não decidiu pelo desmembramento da investigação, travando as apurações sobre empresários e lobistas que não têm foro privilegiado.
    O procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa do Ministério Público Federal, disse que os dados relativos à Operação Pixuleco 2 estão sob apreciação do Supremo Tribunal Federal (STF), por isso a Lava Jato não pode dar continuidade imediatamente a essa investigação específica.
    “Queremos deixar bem claro que a Lava Jato vem trabalhando incessantemente”, declarou o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima. “O material relativo à Pixuleco 2 encontra-se numa situação de competência do Supremo Tribunal Federal e, por isso, não podemos dar continuidade nas investigações na Pixuleco 2. Talvez isso tenha criado uma dificuldade grande e deu a impressão de que a Lava Jato estava perdendo força.” (AE)
  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.