26 de mai de 2015

  • Os psicopatas estão aí




    Deveras devemos ficar impressionados com estas pessoas que têm poder de calar a Polícia Civil, de impor temor a testemunhas; e – o que é mais assustador: continuam dispostas a cometer crimes bárbaros, brutais e hediondos.

    Qual será o prazer que essas pessoas normais têm em torturar uma pessoa; em cortar parte de seus membros e esquartejá-las antes de mata-la?
    Qual será o prazer de amarrar uma pessoa e bater nela até ela ficar entre a morte e a vida, desfalecida e muito machucada?

    Adianta soltar a vítima depois e dar somente remédios para as suas feridas (isso sana ou paga o mal, isso é justiça, tais pessoas seriam justas?)?

    Por que estas pessoas se julgam “superpoderosas” e incapazes de serem punidas?

    Seriam essas pessoas que sentem prazer de ferir e torturar e matar o próximo (ainda que culpado de algum delito) pessoas normais?

    Creio que, por mais que a tortura possa parecer “inocente" (tortura psicológica, etc.), creio que seja digna de repugnância, de execração e de punição!

    [...uma mãe, por exemplo, que ao cometer um aborto deixa um feto (filho) ser perfurado e dilacerado antes de matá-lo dentro de sua barriga onde o pequenino indefeso encontra abrigo e proteção, não deixa essa "mãe" de cometer também uma tortura...]
    [– Tal mãe que tortura um feto indefeso antes de matá-lo, não seria capaz de torturar também um filho já adulto? – O que pensam?]

    – Essas pessoas não sofreriam de um distúrbio psicopático em seus correspondentes graus de perversidade na ação criminosa?
    – As pessoas que apoiam e que defedem tais ações não sofreriam também de algum distúrbio ociopático?!


    – Por que os psicopatas não e intimidam tão facilmente?
    – Por que eles não aprendem mesmo correndo o risco de serem punidos?
    – Por que alguns deles têm memória tão curta?

    Os Psicopatas, eles estão sempre em vários lugares e sentem prazer em nos causar sofrimentos...
  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.