15 de abr de 2015

  • Juízes do trabalho paralisam atividades em protesto contra lei da terceirização

    Magistrados afirmam que projeto gera precarização do trabalho


     Juíz Tiago Mallmann Sulzbach esclaresce riscos de lei para os tarbalhadores 

    Escute a notícia Clique aqui


     

    A paralisação de quinze minutos realizada no saguão da Justiça do Trabalho de Caxias do Sul realizada na terça-feira contou com juízes, advogados trabalhistas e de sindicalistas. O ato integra a mobilização nacional dos magistrados contra a aprovação do Projeto de Lei 4330 que amplia a possibilidade de terceirização nas empresas. O Juiz Substituto da 2ª Vara do Trabalho de Caxias do Sul, Tiago Mallmann Sulzbach, afirma que a lei não beneficia os terceirizados, mas precariza o trabalho de quem possui carteira assinada.
    O juiz acredita que a lei também prejudicará as empresas em relação ao comprometimento dos funcionários com as atividades a serem realizadas.
    A Associação Nacional dos Magistrados já se manifestou contrária ao projeto de Lei e atua junto à Câmara dos Deputados.
    Em defesa da lei, presidente do Simecs afirma que juízes não conhecem o dia-a-dia das empresas. Confira a notícia.
    Fonte: http://www.redesul.am.br/saofrancisco-am/noticias/cidadania/14-04-2015/juizes-do-trabalho-paralisam-atividades-em-protesto-contra-lei-da-terceirizacao

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.