28 de abr de 2015

  • Execução de brasileiro é "inaceitável", diz Itamaraty em nota à Indonésia


    A família de Rodrigo Gularte, de 43 anos, foi notificada no sábado (25) de que ele será executado a partir desta terça-feira (28)


    Rodrigo Gularte, de 43 anos, foi preso em 2004 com seis quilos de cocaína escondidos em oito pranchas de surfe na Indonésia (Foto: Reprodução TV Globo)
    Itamaraty entregou ao governo indonésio neste domingo (26) nota em que classifica de"absolutamente inaceitável" a possibilidade de execução do brasileiro Rodrigo Gularte, de 43 anos. No texto, ainda apela para que ofuzilamento iminente do brasileiro seja cancelado e que ele seja internado em hospital psiquiátrico.
    A nota afirma ainda que o governo da indonésia se recusa a reconhecer, a despeito "do bom senso e de normas básicas de proteção aos direitos humanos", que Gularte é doente - dois laudos constaram que ele sofre de esquizofrenia paranoide. Gularte foi diagnosticado com esquizofrenia por um médico credenciado pelo governo indonésio, mas o laudo não foi divulgado.
    De acordo com a Folha, o documento foi entregue na Embaixada da Indonésia, em Brasília. Nesta segunda-feira (27), segundo o jornal, uma cópia será levada ao Ministério das Relações Exteriores indonésio, em Jacarta. O Itamaraty ainda reforçou "que não considera a aplicação da pena de morte como medida eficaz para enfrentar o narcotráfico".
    O governo da Indonésia notificou no sábado (25) a família do brasileiro Rodrigo Gularte de que ele será executado. Pela lei da Indonésia, o país precisa fazer essanotificação com pelo menos 72 horas de antecedência da execução da pena de morte. Logo, Gularte poderá ser fuzilado a partir desta terça-feira (27). Nesta segunda, o governo da Indonésia confirmou, de acordo com o G1, que as nove pessoas condenadas à morte, incluindo Gularte, serão executadas nesta semana. O momento exato das execuções será anunciado nesta terça, conforme o G1. Além do brasileiro, há cidadãos da Austrália, Filipinas, Nigéria e da Indonésia no corredor da morte. Um décimo prisioneiro, o francês Serge Atlaoui, não recebeu a notificação que as autoridades indonésias entregam 72 horas antes da execução.
    Rodrigo Gularte foi preso em 2004 ao tentar entrar na Indonésia com seis quilos de cocaína escondidos em prancha de surfe. Um ano depois, ele foi condenado à morte.]

  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.