17 de jan de 2015

  • Companhia e Sexo - Sexo com ou sem amor? - "No Divã de Alisson Helmms"





    'A companhia, decerto, é melhor que o sexo’.
    O sexo é a busca do prazer. A companhia, o prazer em si. Desfrutado com energias boas, trocadas, absorvidas, irradiadas, usufruídas na comunicação física corporal e mental de dois corpos que ora ocupam o mesmo universo de sentimentos, o mesmo espaço, a mesma dimensão, a mesma pretensão, a mesma vivência, a mesma matéria – a mesma essência e ‘radiação’ no espaço-tempo da evolução e amadurecimento em conjunto.

    Eis, assim é onde há o querer do amor puro; com gosto de descoberta... Com respeito, aceitação, moderação  e prudência. ...Sem horas marcada e com paciência. 
    Uma vez amando alguém assim, nunca te esquecerás. Esse é o tipo de amor que foi cedido por livre e espontânea vontade. Ele nasce e instala-se nas entranhas não apenas por carência. Senão por virtude da alma e da emoção. Pela ciência do respeito, da gravidade e da circunspeção é que ele fica gravado no coração.
    A libido, nesse contexto – nesse meio, nesse clima, nesse ambiente, nesses corpos –, já não é mais só atração. Senão algo mais além... É energia criativa e de produção. É arte, é vida, é romance, bem estar e motivação. É descoberta e criação...
    Usufrui-se assim – mutuamente –, a libido que é produzida em um ambiente positivo, de concórdia, de submissão, de liberdade, de interações sinérgicas que servem não para que sejam corrompidos apenas os corpos em uma simples cópula sem graça e sem envolvimento. (...) Ora, o sexo simplesmente pela prática de fazer sexo não tem e não trás prazer de verdade. O orgasmo ou o gozo perde o sentido quando não estão envolvidos todos os demais sentidos e elementos outrora expostos.
    Aliás: o elemento do amor é algo que vai além do que se pode prever ou determinar. É algo poderoso e não artificial.

    Gozar por gozar, que graça tem?
    Casar por casar, que sentido faz?
    Transar por transar, que amor produz?

    E você pode até dizer:
    – Eu gostava de dormir com ela...

    Mas você nunca dirá que amou de verdade se você apenas se limitou a fazer sexo... – O amor envolve muito mais que simplesmente a prática do sexo; muito mais que o desejo... O amor é algo 'mágico'. É assim que eu vejo...!
    O amor é que cria todas as coisas. (Todas as coisas boas, úteis, agradáveis e que faça sentido...) Onde há amor, não se pode ser corrompido, iludido, enganado, maculado...

    A companhia e o companheirismo é o desfrutar do amor. Não houvesse ambos, não se poderia saber o que significa amar. Amar, pois, não é somente querer fazer sexo; não é usar o corpo da outra pessoa para a satisfação apenas; não é simplesmente a busca do prazer... “Amar é a loucura divina do encontro em meio ao ‘acaso’ e ao mútuo querer. É a força que cria o perdão, a necessidade, a vontade, o bem querer, o afeto, a emoção boa e positiva. O desejo de acompanhar e ser acompanhado. O desejo de continuar amando e ser amado...  De estar ao lado...".


    ***


    "Daí originou-se o primeiro capítulo da obra que se completa. Da obra antiga que nunca será descoberta de todo... Pois o amor, o amor continua sendo também um mistério."


    ***


    "Às vezes não há a primeira vez (ou não conta a primeira vez); senão o primeiro amor. A admiração, o respeito, o elo de ligação, etc..." 

    "Não me perguntem o que eu vi no amor... Vi muitas coisas. E posso garantir: o amor – mesmo que não esperemos ou acreditemos nele , é algo que sempre vai existir em nós, dentro de nós, no meio de nós." 






  • 0 comentários:

    Postar um comentário

    Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.