"O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele"

13 de nov de 2018

  • Por que George Soros financia movimentos de esquerda? Entenda


    George Soros - WEF 2010

    O casamento aparentemente contraditório entre um bilionário capitalista com grupos de esquerda desperta a seguinte pergunta: como um bilionário capitalista, especulador no mercado financeiro, decidiu financiar grupos de esquerda?  E por quê? Basicamente, porque muitos movimentos de esquerda não são necessariamente contra o capitalismo de George Soros, mas contra valores e princípios conservadores, base da civilização ocidental, que representam obviamente uma resistência aos anseios globalistas de Soros e outros grandes capitalistas - tema muito discutido em outros países e totalmente obscuro no Brasil. - Veja, CLIQUE AQUI




  • 12 de nov de 2018

  • PF confisca avião, 139 carros e 90 imóveis em FRAUDES do PT de R$ 8 BILHÕES em FUNDO DE PENSÃO




    A Operação Greenfield, deflagrada nesta segunda-feira, contra desvios de R$ 8 bilhões no fundos de pensão Funcef, Petros, Previ e Postalis, determinou o sequestro e o bloqueio de 90 imóveis, 139 automóveis, uma aeronave, além de valores em contas bancárias, cotas e ações de empresas e títulos mobiliários.

    A ordem judicial, da 10ª Vara Federal, de Brasília, também determinou o sequestro de bens e o bloqueio de ativos e de recursos em contas bancárias de 103 investigados.

    Resultado de imagem para pf confisca aviao

    Ao todo, 127 mandados estão sendo cumpridos em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Amazonas, além do DF: sete de prisão temporária, 106 de busca e apreensão e 34 de condução coercitiva. Em Porto Alegre, a PF cumpre dois mandados de busca e apreensão e um de condução coercitiva — o nome do alvo não foi divulgado. Um dos locais de busca é a sede do Grupo Bolognesi, na Avenida Plínio Brasil Milano, na Zona Norte, onde agentes permaneceram cinco horas nesta manhã. ZH fez contato com a empresa e aguarda retorno.

    O ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, investigado também na Operação Lava-Jato e que já cumpre prisão domiciliar,  foi conduzido coercitivamente à PF, mas ficou preso preventivamente por ordem do juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava-Jato. A PF também faz buscas na casa do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, também alvo da Lava-Jato.

    O ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro,  é um dos alvos de mandado de condução coercitiva

    Buscando as causas dos prejuízos bilionários apresentados pelos fundos de pensão, a Operação Greenfield se baseia em 10 casos examinados pelos investigadores. Em oito casos, as autoridades verificaram investimentos realizados de forma temerária ou fraudulenta pelos fundos de pensão, através dos FIPs (Fundos de Investimentos e Participações).

    Os suspeitos poderão responder por gestão temerária ou fraudulenta, além de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional. Segundo a PF, as irregularidades possuem quatro núcleos de atividade: o núcleo empresarial, o núcleo dirigente dos fundos de pensão, o núcleo de empresas avaliadoras de ativos e o núcleo de gestores dos FIPs.

    Greenfield 

    O nome da operação é uma referência a investimentos em fase inicial, antes de ser colocados em prática. O oposto de investimentos Greenfield é o Brownfield, em que os recursos são colocados em uma empresa que já opera.

    VEJA TAMBÉM:


     
    O principal denunciante do ‘Portolão’ – escândalo que aponta indícios de corrupção no Porto do Açu, em São João a Barra -, diz que vai apontar um suposto esquema de contratação de empresas para beneficiar políticos da região. As empresas em nome de parentes e pessoas próximas aos políticos seriam contratadas por meio de licitações … Continue lendo EXTRA: O BRASIL VAI CONHECER MAIS UM MEGA ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO, O “PORTOLÃO”

  • 7 de nov de 2018

  • Histórico não é Lula ser preso, mas Temer, Aécio e Renan estarem livres, diz sociólogo


    O ex-presidente Lula; o presidente Michel Temer; e os senadores Aécio Neves e Renan Calheiros Image caption 'Não vejo como um fato histórico porque o Lula foi preso. Eu acho histórico porque o Lula foi preso e o Temer não foi, o Aécio não foi, o Renan Calheiros não foi', diz sociólogo


    Em meio a um momento "turbulento e tumultuoso" na política brasileira, a falta de consistência nas decisões do Judiciário gera uma "dúvida institucional que é nociva e desestabiliza a democracia", considera o sociólogo Sérgio Abranches.
    Em entrevista à BBC Brasil, Abranches afirma que o Supremo Tribunal Federal (STF) tem tomado decisões que variam de caso a caso e não condizem com seu papel de ser o "recurso de última instância" na República, devendo ter uma voz "estável" e "unívoca".
    Para o sociólogo, o fato de o STF ter negado o habeas corpus ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas ainda deixar em aberto a possibilidade de reavaliar a regra da execução da sentença após a segunda instância gera instabilidade.
    "Maiorias de circunstâncias não podem afetar a jurisprudência a respeito de questões tão cruciais", afirma Abranches, que é comentarista da rádio CBN.
    O sociólogo considera que a prisão de Lula seguiu os trâmites judiciais, mas se reveste, do ponto de vista histórico, de "significado duvidoso" por ter ocorrido enquanto outras lideranças "ficam ao abrigo da lei", beneficiadas por um "sistema de blindagem" que continuaria operando para livrar políticos do processo judicial. 

    Veja mais, clique aqui 
     
  • Após sair do Mercosul, Paraguai atingiu o terceiro maior crescimento econômico do mundo

    Segundo relatório do Banco Mundial, o Paraguai teve no ano de 2013 o terceiro maior crescimento econômico do mundo: 14,1%. O Brasil, no mesmo período, cresceu 2,2%.

     

    A disparidade coincide com a saída do Paraguai do Mercosul.  O país foi suspenso temporariamente do bloco econômico  em resposta ao processo de impeachment do presidente Fernando Lugo, ocorrido no ano anterior e que foi repudiado pelos países sul-americanos.

    Após o retorno do Paraguai ao Bloco, o crescimento saiu de 14% em 2013, para 4,72% em 2014. O crescimento continuou em queda gradual e fechou 2017, com 0,7% de crescimento. Os dados são do Banco Mundial.

    Além da saída do Mercosul, o crescimento também está ligado a outros fatores, como a maior diversificação de suas exportações (tentando diminuir sua dependência do Brasil) e uma maior abertura econômica, que inclui uma legislação tributária definida como “simples” em relação a outros países, incluindo o Brasil.

    Fonte http://www.ilisp.org

  • 6 de nov de 2018

  • O Mercosul, criticado por Paulo Guedes, ainda é importante para o Brasil?




    Ilustração mostra anel com bandeiras dos países membros do Mercosul

    Cotado para Ministério da Economia, a ser criado, economista Paulo Guedes disse que Argentina e Mercosul 'não são prioridade'  

     

    O Mercosul é importante para o Brasil? Deveria, afinal, estar ou não na lista de prioridades econômicas para o próximo governo? 

    Tais questionamentos ganharam força após as declarações do futuro ministro da área econômica do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes. Criado em 1991, tendo como sócios originais Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, o Mercosul é um bloco econômico que prevê ampla circulação de bens e serviços, com facilidades tarifárias no comércio entre os países-membros.

    Em entrevista a jornalistas, Guedes afirmou que Argentina e Mercosul "não são prioridade" para o próximo governo. O objetivo principal, acrescentou, será comercializar com todo o mundo, como publicou a imprensa argentina.

    O economista argumentou ainda que o Mercosul é "muito restritivo, o Brasil ficou prisioneiro de alianças ideológicas e isso é ruim para a economia". Ele também disse que o bloco, formado só negociava com quem tinha "inclinações bolivarianas", mas que isso não ocorrerá mais.

    Acompanhe a matéria completa, CLIQUE AQUI

    Paulo Guedes dá entrevista
     'A pergunta é se vamos comercializar somente com a Argentina? Não. (...) O Mercosul não é prioridade', disse Guedes
  • 3 de nov de 2018

  • PF indicia Michel Temer e filha Maristela por corrupção passiva e lavagem de dinheiro


    O presidente Michel Temer, durante cerimônia no Palácio do Planalto Foto: Givaldo Barbosa/Agência O Globo/09-10-2018
    O presidente Michel Temer
     
    PF também solicitou a prisão preventiva do coronel Lima, amigo do presidente 

     
    BRASÍLIA — Após 13 meses de investigação, a Polícia Federal 
    ( PF ) finalizou o inquérito que apurava se o presidente Michel Temer e seu grupo político receberam propina em troca de beneficiar indevidamente empresas do setor portuário. No relatório final, a PF indiciou o atual presidente e sua filha Maristela por corrupção passiva , lavagem de dinheiro e organização criminosa , além de outros acusados. A PF também solicitou a prisão preventiva do coronel João Baptista Lima, amigo de Temer, e a mulher dele Maria Rita Fratez, e pediu o bloqueio de bens de todos eles, inclusive do presidente.  

    Veja tudo, CLIQUE AQUI

  • General eleito pelo PSL pede prisão de ministros do STF

    Girão Monteiro diz que quer criar "plano de moralização das instituições da República"

     

    O general Eliéser Girão Monteiro Filho, deputado eleito pelo PSL no Rio Grande do Norte, defendeu o impeachment e a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) responsáveis pela libertação de políticos acusados de corrupção, como o ex-deputado José Dirceu (PT) e os ex-governadores do Paraná Beto Richa (PSDB) e de Goiás Marconi Perillo (PSDB). Segundo ele, "o impeachment de vários ministros" se insere em um "plano de moralização das instituições da República".
    O general Eliéser Girão Monteiro Filho
    O general Eliéser Girão Monteiro Filho
    Foto: REPRODUÇÃO / Estadão Conteúdo
    "Não tem negociação com quem se vendeu para o mecanismo", escreveu em sua conta no Twitter, em referência à série da Netflix sobre a Lava Jato. "Destituição e prisão", completou. Ao ser questionado pelo "Estado", o general ratificou o disse: "É isso. O Senado tem de cumprir o papel dele." O impeachment de ministros do Supremo deve ser votado pelo Senado e aprovado por dois terços da Casa. Ele é possível em caso de crime de responsabilidade, como proferir julgamento quando suspeito na causa ou exercer atividade político-partidária". 

    Girão é um dos dois generais eleitos para a Câmara pelo PSL de Jair Bolsonaro. Teve 86 mil votos no Rio Grande do Norte. É da turma de 1976 (Tuma 31 de Março) da Academia Militar das Agulhas Negras e é próximo ao general Augusto Heleno Pereira. Girão passou para a reserva em 2009 em protesto à retirada de fazendeiros da área da reserva indígena de Raposa Serra do Sol, em Roraima. O "Brasil é um país onde a lei tem de ser respeitada por todos. Só porque alguém é presidente, ele deve responder apenas quando deixa a Presidência?", questionou. Em seguida, disse que se referia ao presidente Michel Temer. 

    O militar citou ainda os casos dos ex-governadores tucanos soltos recentemente por decisão do ministro Gilmar Mendes (STF). "Aí o cara é solto pelo ministro do Supremo. E você sabe que não manda soltar por acaso", disse. Ele defendeu ainda que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Lava Jato, seja retirado de sua cela na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, e enviado para um presídio comum. 

    Também defendeu classificar as invasões de terras e propriedades urbanas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra como crime de "terrorismo". "O (João Pedro) Stédile (líder do MST) foi recebido por Lula no Planalto e advogou a desobediência civil. Se eu estivesse lá, dava voz de prisão para esse cara." O general disse que o País precisa voltar a ser uma "democracia plena, com a independência dos poderes para que as leis sejam cumpridas". Para ele, a moralização deve "começar pelo Congresso". 

  • 1 de nov de 2018

  • Justiça ordena rastreamento de movimentações financeiras de sobrinho de Lula


    BrasíliaLuiz Inácio Lula da Silva durante evento do PT em Brasília
    A 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, por meio de decisão do juiz Vallisney de Oliveira, ordenou que Taiguara Rodrigues, sobrinho de Lula, tenha suas movimentações financeiras rastreadas.

    O MPF fez o pedido com base no processo em que Lula e Taiguara são réus por formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção e tráfico de influência.

    Lula usaria seu poder e influência para conseguir empréstimos para a Odebrecht diretamente do BNDES, enquanto a empreiteira contrataria a empresa de Taiguara, a Exergia.

    Fonte: O Antagonista.
  • Haddad é condenado a pagar R$ 200 mil para representante do MP por danos morais


    O petista Fernando Haddad - ex-prefeito de São ailo - acusou o promotor Marcelo Milani de pedir R$ 1 milhão em propina para não ajuizar um ação civil pública contra a construção da Arena Corinthians.

    O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad a pagar indenização por danos morais no valor de R$ 200 mil ao promotor Marcelo Milani. Como é decisão em primeira instância, ainda cabe recurso.

    De acordo com a ação movida pelo promotor, em 2007, em entrevista a uma revista, o político afirmou que Milani teria solicitado propina de R$ 1 milhão para não ajuizar uma ação civil pública envolvendo irregularidades no pagamento de tributos na construção do estádio do Corinthians. Haddad também disse que era perseguido politicamente pelo promotor. As declarações foram replicadas em outros veículos de comunicação.
    À época, a acusação foi investigada pelo Tribuna de Justiça de São Paulo e pela Corregedoria do Ministério Público, mas não foi comprovada.

    Na decisão, o juiz Fabio Fresca afirma que para a configuração do dano moral, “basta a comprovação de um ato capaz de macular a honra subjetiva do autor, que tenha o condão de ultrapassar os meros aborrecimentos cotidianos para que reste configurado”.

    “Não há dúvidas de que o comportamento do requerido teve o condão de caracterizar dano moral, pois, impôs ao autor passar por situações vexatórias e delicadas, nos âmbitos profissional, familiar e social, tendo que enfrentar o descrédito da sociedade e de seus pares diante da séria acusação de corrupção passiva e prevaricação”, escreveu o magistrado.
          
    Em nota, a defesa de Haddad afirma que ainda não foi intimada sobre a sentença e diz receber "com apreensão" a notícia da condenação em danos morais a favor do Promotor Dr. Marcelo Milani e garante que serão apresentados os "recursos cabíveis" em caso de intimação oficial.


    "A oitiva de testemunhas que presenciaram os fatos e que podem auxiliar no esclarecimento da verdade, como o ministro Alexandre Moraes e o desembargador Roberto Porto, foi negada pelo juiz, embora expressamente solicitada em mais de uma ocasião pela defesa", afirma a defesa.


    Informação dO Antagonista.
    Via R7
     
  • Bloco de oposição ao Governo Bolsonaro no Congresso articula isolamento do PT


    Nas duas casas legislativas do país, o PT parece estar muito mal das pernas.

    No Senado, os partidos Rede, PDT, PSB, PPS e PSB, sob a liderança de Cid Gomes, seguem se movimentando para isolar o Partido dos Trabalhadores.

    Enquanto isso, algo similar acontece na Câmara. Líderes do PDT, PSB e PC do B, partido da candidata a vice de Haddad, também estudam o isolamento dos petistas.

    Fonte: O Antagonista
  • 29 de out de 2018

  • Ministro italiano Matteo Salvini saúda Bolsonaro e afirma que vai pedir extradição de Battisti




    O ministro italiano Matteo Salvini, que já havia demonstrado apoio ao candidato Jair Bolsonaro, saudou o presidente recém eleito no Twitter.
    Salvini também afirmou que vai pedir a extradição de Cesare Battisti. O italiano ainda desabafou o fato de todos os governos anteriores a Bolsonaro terem empurrado a questão.

    ”E depois de anos de conversa fiada, pedirei que mandem de volta o terrorista vermelho Battisti”.

    Informação dO Antagonista.
  • Após vitória de Bolsonaro PT teme mais ainda a prisão de Dilma Rousseff

    Resultado de imagem para Dilma rousseff presa

    O temor surgiu após o vazamento de parte da delação de Antônio Palocci. À Polícia Federal, o ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil do PT afirmou que Dilma atuou para atrapalhar as investigações da Lava Jato e que a campanha de Dilma Rousseff foi marcada pelo uso de doações eleitorais oficiais para esconder o pagamento de propina. Palloci detalhou à PF todo o processo para conseguir R$ 50 milhões para a campanha de Dilma Rousseff em 2014.

    A nova delação bomba do ex-ministro do PT deverá ser homologada nos próximos dias. Por enquanto, o documento está nas mãos do desembargador Gebran Neto, do Tribunal Regional Federal da 4ª região.

    Resultado de imagem para Dilma rousseff presa
       

    Via Agora Notícia Brasil
    Guilherme Mazieiro/UOL A força-tarefa de procuradores que atuam nas investigações da Operação Lava Jato criticou nesta sexta-feira (5) a decisão do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou a... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-brasil/2018/10/05/forca-tarefa-da-lava-jato-e-preciso-discutir-excessos-de-gilmar.htm?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=noticias&utm_content=geral&cmpid=copiaecola
  • Cid e Ciro Gomes são acusados de desviar R$ 300 milhões


    Irmãos não são investigados nem foram denunciados sobre caso divulgado em 2010

    Resultado de imagem para Ciro Gomes são acusados de desviar R$ 300 milhões 
    MATÉRIA ATUALIZADA EM 18/09/2018 : Recentemente, o registro feito pelo GLOBO da reportagem publicada pela Revista Veja em 2010 passou a ser compartilhado nas redes sociais como se o conteúdo fosse atual. Para alertar os leitores, O GLOBO realizou nesta semana uma consulta ao Ministério Público Federal e a Justiça Federal do Ceará para atualizar o assunto. Os dois órgãos não localizaram nenhum processo relacionado ao caso em que Ciro Gomes ou Cid Gomes sejam investigados. Segundo o MPF, há algumas ações penais em curso na Justiça Federal que têm o empresário Raimundo Morais Filho como réu, mas os irmãos Gomes não são acusados nesses processos. 

    Acompanhe a matéria, CLIQUE AQUI


    Segundo a revista, as provas estão em documentos apreendidos pela Polícia Federal e na memória de um computador do empresário Raimundo Morais Filho. Em 79 mil arquivos, Morais Filho, cujo paradeiro é desconhecido, descreveria a atuação da quadrilha. 


    Resultado de imagem para Ciro Gomes são acusados de desviar R$ 300 milhões  
      


     
  • 28 de out de 2018

  • Moro saúda Bolsonaro e sugere reformas em favor da integridade da administração

    Crédito: igo de Processo Penal (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
    O juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, que colocou o ex-presidente Lula na cadeia, desejou ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) “que faça um bom governo”. Moro declarou neste domingo, 28, após apuração de 98,89% dos votos, assegurando vitória de Bolsonaro, que “encerradas as eleições, cabe congratular o presidente eleito”.

    Ele recomenda reformas “com diálogo e tolerância”. “São importantes, com diálogo e tolerância, reformas para recuperar a economia e a integridade da Administração Pública”, sugere o magistrado. Para Moro este é o caminho para “resgatar a confiança da população na classe política”.

    “Encerradas as eleições, cabe congratular o Presidente eleito e desejar que faça um bom Governo. São importantes, com diálogo e tolerância, reformas para recuperar a economia e a integridade da Administracao Publica, assim resgatando a confiança da populacao na classe politica.”

    Via Revista Istoé
  • Imprensa internacional destaca vitória de Bolsonaro


    Fonte: TSE via Reuters. 
     Resultado de imagem para Bolsonaro Presidente

    A imprensa internacional destacou  ontem (28) a vitória de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República.

    Principal jornal norte-americano, o The New York Times afirma que o Brasil é o mais recente país a se encaminhar para a extrema direita, elegendo um populista como presidente “na mais radical mudança política desde que a democracia foi restaurada há mais de 30 anos”. “O novo presidente, Jair Bolsonaro, exaltou a ditadura militar do país, defendeu a tortura e ameaçou destruir, prender ou mandar para o exílio seus oponentes políticos”, diz o texto.

    Veja também: 

    Comunista Maduro, com medo, parabeniza Bolsonaro presidente 

    A Direita vence no Brasil e Bolsonaro acaba com o reinado do PT 


    O jornal inglês The Guardian traz em sua manchete na versão online a vitória do candidato do PSL. “Um populista de extrema-direita, pró-armas, pró-tortura foi eleito como o próximo presidente do Brasil após uma eleição dramática e profundamente dividida que deve mudar radicalmente o futuro da quarta maior democracia do mundo”, afirma a reportagem. Segundo o veículo, Bolsonaro construiu sua campanha com os lemas de combate à corrupção, ao crime e a uma suposta ameaça comunista no país.

    O francês Le Monde também traz a eleição de Bolsonaro em sua manchete, ressaltando que o presidente eleito promete “mudar o destino do país”. O jornal ainda destaca que Fernando Haddad, o candidato do PT derrotado no segundo turno, pediu que “seus 45 milhões de eleitores sejam respeitados”.

    O espanhol El País publica em sua manchete que a vitória de Bolsonaro leva a extrema direita ao poder no Brasil. Segundo a reportagem, o "ultradireitista" Bolsonaro, “nostálgico da ditadura”, ganhou de forma contundente a eleição. “Ambos [Bolsonaro e Haddad] se enfrentaram em uma campanha marcada pela tensão, pelo triunfo da desinformação nas redes sociais, e, sobretudo, pelas atitudes antidemocráticas de Bolsonaro”, diz o jornal espanhol.

    O argentino El Clarín afirma que a campanha de Bolsonaro se baseou nas denúncias contra a corrupção de governos petistas e contra a insegurança pública. Citando o discurso de Bolsonaro após a confirmação de sua vitória, o jornal destacou que o presidente eleito se comprometeu a "seguir a Constituição, a democracia e a liberdade", citou a Bíblia e disse que fará reformas para transformar o país em uma nação "grande, livre e próspera".

    Resultado de imagem para Bolsonaro Presidente

    Via Agenciabrasil
  • Esquerda sofre grande derrota no Brasil: Ódio visceral ao PT ressuscita com fúria

    Rejeição ao partido de Lula se baseia no anticomunismo e na corrupção. Haddad é rechaçado por 52% do eleitorado, oito pontos a mais que Bolsonaro


    elecciones brasil
    Seguidor de Bolsonaro com um cartaz contra Lula, domingo passado, em São Paulo REUTERS
    No primeiro dia de 2003, um torneiro mecânico que estudou até o 5.o ano primário tomou posse como presidente. Com Lula à frente, a esquerda chegava ao Governo do Brasil após a ditadura. “Se, ao final do meu mandato, todos os brasileiros tiverem a possibilidade de tomar café, almoçar e jantar, terei cumprido a missão da minha vida”, proclamou. E embora 29 milhões de pessoas tenham saído da pobreza durante os mandatos do Partido dos Trabalhadores (PT), a recessão anulou nos últimos anos algumas daquelas conquistas, e uma descomunal corrupção levou à prisão dezenas de dirigentes – Lula inclusive –, criando um terreno fértil onde germinaria um líder nacional-populista como Jair Bolsonaro, favorito para vencer as eleições deste domingo, e para que ressurgisse, com enorme força, o sentimento antipetista. O ódio visceral ao petismo existia. Ficou adormecido enquanto o partido se transformava, em tempos de bonança econômica, na maior maquinaria política do Brasil; e agora ressuscitou como uma hidra. Para muitos brasileiros, Lula e o PT são a peste. O mal. O inimigo a derrotar. E se para isso for preciso apoiar um ultradireitista que tem saudade da ditadura, que assim seja. O sentimento de repulsa era evidente no domingo anterior à eleição entre os milhares de bolsonaristas que lotaram a avenida Paulista, em São Paulo. “Bolsonaro não quer comunismo aqui como o PT”, explicava Estêvão Ribeiro, um consultor militar vestido com roupa camuflada, botas e boina verde. O apoio firme de Lula e Dilma aos Governos chavistas da Venezuela, inclusive após a deriva autoritária, saiu caro para eles.

    Acompanhe a matéria completa, CLIQUE AQUI 
    .
  • Cunha recebeu propina para favorecer Haddad...

    Ex-prefeito de SP e candidato à Presidência pelo PT, Fernando Haddad, teria feito negociata com Cunha e Leo Pinheiro para renegociar dívida da capital 

     

    Haddad, ex-prefeito de SP e candidato à Presidência

    Haddad, ex-prefeito de SP e candidato à Presidência


    O ex-prefeito de São Paulo e candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, fez uma parceria com o então deputado federal Eduardo Cunha (MDB) e o empreiteiro Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, ambos presos na Operação Lava Jato, para renegociar uma dívida de R$ 53,2 bilhões da cidade com o governo federal. A informação foi obtida pela Revista Istoé.

    De acordo com a matéria, divulgada nesta sexta-feira (26), o MPF (Ministério Público Federal) acredita que Cunha recebeu propina da OAS para favorecer Haddad, ao aprovar um PLC (Projeto de Lei Complementar) na Câmara dos Deputados.

    Informações que estão no inquérito da Operação Manus, que investigou superfaturamento na construção do estádio Arena das Dunas, em Natal (RN), e obtidas pela revista, apontam que Cunha “atuou em favor dos interesses da OAS relacionados à rolagem da dívida pública do Município de São Paulo, na gestão do prefeito Haddad”.

    Lei para beneficiar São Paulo
    Em 2013, o governo federal apresentou o Projeto de Lei Complementar 238/2013, que teve como relator o então líder do MDB na Câmara, Eduardo Cunha. O projeto era basicamente sobre a rolagem da dívida da prefeitura de São Paulo e de outras aproximadamente 200 cidades brasileiras.

    De acordo com as investigações do MPF, nas trocas de mensagens deste período, há indícios de que o ex-secretário municipal de Negócios Jurídicos Luis Fernando Massonetto alertou que um dos obstáculos para a não aprovação do projeto seria justamente Cunha.

    Com essa informação, Leo Pinheiro, que tinha interesse no projeto porque tinha a receber da prefeitura de São Paulo, atuou diretamente para a aprovação da PLC. Além disso, ele era constantemente informado por Cunha sobre a tramitação da matéria.  O relatório também aponta que Cunha conversava com Haddad sobre o assunto.


    Com isso, a PF entende que Haddad tinha exata noção do que estava sendo discutido na Câmara.
    De acordo com a reportagem, o interesse extremo e a participação de Haddad no processo levantam dúvidas da PF e MPF. O que se sabe é que Cunha, junto de Henrique Eduardo Alves, teriam recebido pelo menos R$ 4,6 milhões por meio de doações eleitorais como propina pela sua atuação no Congresso, na qual se inclui a aprovação do Projeto de Lei sobre a rolagem de dívidas de municípios.
    Além disso, é certo que a OAS recebeu R$ 173 milhões da Prefeitura de São Paulo na gestão Haddad.

     Destes, R$ 89 milhões em 2014, ano após a aprovação da PLC.

    Fonte  https://www.blogger.com

     

  • 27 de out de 2018

  • Assista: Generais orientam Bolsonaro a não sair para votar no domingo, por alto risco de atentado




    O candidato líder na corrida presidencial Jair Bolsonaro recebeu orientação de generais do Exército Brasileito para não sair votar no domingo.

    O motivo é a crescente escalada da violência oriunda de forças ligadas ao Partido dos Trabalhadores. 

    O General Heleno confirmou por meio de vídeo que as ameaças são reais, e que uma série de cuidados está sendo tomada, para garantir a vida de Jair.

    Para ver o vídeo, clique aqui
  • Campanha de Bolsonaro quer acompanhar apuração na sala-cofre do TSE

    Pedido feito às vésperas do 2º turno pela equipe pesselista é para "garantir a credibilidade do sistema", colocado em prova nas declarações de Bolsonaro

     


    A coligação de apoio à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) entrou com representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo que cinco representantes das campanhas de cada um dos dois candidatos possam acompanhar a apuração de votos na sala-cofre do tribunal.

    “Estamos em busca de um direito constitucional: a transparência dos atos públicos. Fizemos isso de forma democrática e ampla”, explicou o articulador político de Bolsonaro, deputado Onyx Lorenzoni (DEM).

    Segundo ele, o pedido só foi feito agora às vésperas do segundo turno porque a equipe estudava maneiras de garantir a credibilidade do sistema eletrônico, “que não é usado em nenhum lugar com democracia consolidada”, afirmou.

    Caso a ministra Rosa Weber negue o pedido, Lorenzoni adiantou que tentará uma liminar junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir a presença na sala-cofre, onde geralmente a contagem é monitorada apenas por técnicos da casa.

    Via Revista Exame

  • Há muita fumaça em torno da disputa presidencial. E indefinição acerca do futuro governo.

    Caro leitor,

    A última pesquisa Crusoé-Empiricus sobre a sucessão presidencial 
    mostra que Jair Bolsonaro tem 60,6% dos votos válidos, 
    contra 39,4% do petista Fernando Haddad.



    Indagados sobre a razão do voto, a maioria dos entrevistados confirma o que já estava, de certa forma, desenhado.

    O antipetismo e a rejeição a Lula devem definir o resultado da eleição.

    Mesmo assim, ainda há muita fumaça em torno da disputa presidencial.

    E também indefinição acerca do que seria o eventual governo Bolsonaro.

    Você precisa redobrar a atenção.

    Pois seu futuro e o da nação estão em jogo:



    Mas a mesada de Toffoli, revelada pela Crusoé, não teve o mesmo tratamento.









    Acompanhe a matéria completa, CLIQUE AQUI

     
  • Costa Rica's president in scandal over 'drugs' jet - Chefe da missão da OEA que veio observar as eleições no Brasil tem histórico de corrupção e ligação com Lula


    Chefe da missão da OEA que veio observar as eleições no Brasil tem histórico de corrupção e ligação com Lula em obras da OAS na Costa Rica. 

     Cost Rica President Laura Chinchilla on 3 May 2013
    Image copyright AFP
    Image caption Laura Chinchilla has been vocal about the need to tackle drug cartels
    Revelations that Costa Rica's president used the jet of a Colombian with alleged links to drugs trafficking have led to three high-profile resignations.

    The head of intelligence and security, Mauricio Boraschi, and presidential aide Irene Pacheco stepped down on Thursday. Communications Minister Francisco Chacon resigned on Wednesday.
    President Laura Chinchilla travelled twice on Gabriel Morales Fallon's jet.

    She said "a few key people" had failed in their duties to protect her.

    President Chinchilla is said to have used the jet in March to fly to Venezuela for the funeral of the former leader Hugo Chavez. She then used the plane again last weekend for a private trip to Peru.

    But it has since emerged that both the jet, and its owner Gabriel Morales Fallon, were under investigation by Costa Rican intelligence officials for possible ties to drug trafficking.

    Mr Morales was "linked to very complicated and complex situations from a criminal point of view", Mr Boraschi said earlier in the week, though he had no convictions and was not subject to any arrest warrant.

    The use of the jet came about after Mr Morales reportedly introduced himself to Mr Chacon under a false name. 

    Mr Chacon has admitted he did not fully vet Mr Morales and the aircraft.

    Before his resignation was announced, Mauricio Boraschi, who was also Costa Rica's anti-drugs commissioner, said his agency had not been told that the president was using the private aircraft.
    Colombian authorities have investigated Mr Morales over alleged ties to jailed Colombian drug trafficker Luis Carlos Ramirez, arrested in Brazil in 2008. Mr Morales has denied any such links.

    President Chinchilla has long been vocal about the need to tackle the drugs threat in the region.

    Earlier this month, she discussed the problem of drug cartels with US President Obama during his visit to Costa Rica.

    https://www.bbc.com/news/world-latin-america-22566532?fbclid=IwAR3DjxZN4eajbKHLdLeJINuKletMjPLD2fDzt6f5DT_04_CQfD9oD5ZMlpg 


    Vejam o CV de Laura Chinchila, que inclui voos em jatinho de traficante de drogas colombiano.

    https://oglobo.globo.com/…/corrupcao-ineficiencia-de-servic…
    https://www.gazetadopovo.com.br/…/ex-presidente-da-oas-cont…
    http://institutolula.org/laura-chinchilla-e-lula-se-reunem-…

    *Contrato feito após ida de Lula à Costa Rica é investigado*
    https://m.folha.uol.com.br/…/1266493-contrato-feito-apos-id…

    *Missão da OEA descarta irregularidades nas urnas eletrônicas*
    https://www.dw.com/…/miss%C3%A3o-da-oea-descarta…/a-45806798

    *A avalista das urnas eletrônicas e os vôos no jatinho de um traficante de drogas colombiano*
    https://www.bbc.com/news/world-latin-america-22566532

    Bem, podemos ficar tranquilos, não é?
     

    - Fátima Moro Nunes
  • 26 de out de 2018

  • Em carta, Lula ataca Judiciário e pergunta por que tanto ódio ao PT

    Em carta, o ex-presidente diz que foi condenado injustamente e lamenta a associação que se faz entre o Partido dos Trabalhadores e a corrupção 

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

    O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

    Coluna não podia deixar passar em branco mais um ataque do ex-presidente Lula ao Judiciário e à imprensa. 

    Ele divulgou hoje uma carta onde reforça a sua inocência e lamenta ver o nome do partido que fundou associado à corrupção. Lula levanta várias hipóteses sobre a imensa rejeição do eleitorado brasileiro ao PT, mas em nenhuma delas tocou no Mensalão ou no Petrolão. 
    Os 200 dias de prisão completados por Lula, em Curitiba, devem ter contibuído para o delírio.
    A seguir, a carta de Lula na íntegra: 
    “Meus amigos e minhas amigas,
    Chegamos ao final das eleições diante da ameaça de um enorme retrocesso para o país, a democracia e nossa gente tão sofrida. É o momento de unir o povo, os democratas, todos e todas em torno da candidatura de Fernando Haddad, para retomar o projeto de desenvolvimento com inclusão social e defender a opção do Brasil pela democracia.
    Por mais de 40 anos percorri este país buscando acender a esperança no coração do nosso povo. Sempre enfrentamos o preconceito, a mentira e até a violência, e, mesmo assim, conseguimos construir uma profunda relação de confiança com os trabalhadores, com as pessoas mais humildes, com os setores mais responsáveis da sociedade brasileira.
    Foi pelo caminho do diálogo e pelo despertar da consciência cidadã que chegamos à Presidência da República em 2002 para transformar o país. O povo sabe e a história vai registrar o que fizemos, juntos, para vencer a fome, superar a miséria, gerar empregos, valorizar os salários, criar oportunidades, abrir escolas e universidades para os jovens, defender a soberania nacional e fazer do Brasil um país respeitado em todo o mundo.
    Tenho consciência de que fizemos o melhor para o Brasil e para o nosso povo, mas sei que isso contrariou interesses poderosos dentro e fora do país. Por isso tentam destruir nossa imagem, reescrever a história, apagar a memória do povo. Mas não vão conseguir.
    Para derrubar o governo da presidenta Dilma Rousseff, em 2016, juntaram todas as forças da imprensa, com a Rede Globo à frente, e de setores parciais do Judiciário, para associar o PT à corrupção. Foram horas e horas no Jornal Nacional e em todos os noticiários da Globo tentando dizer que a corrupção na Petrobrás e no país teria sido inventada por nós.
    Esconderam da sociedade que a Lava Jato e todas as investigações só foram possíveis porque nossos governos fortaleceram a Controladoria Geral da União, a Polícia Federal, o Ministério Público e o Judiciário. Foi por isso, e pelas novas leis que aprovamos no Congresso, que a sujeira deixou de ser varrida para debaixo do tapete, como sempre aconteceu em nosso país.
    Apesar da perseguição que fizeram ao PT, o povo continuou confiando em nosso projeto, o que foi comprovado pelas pesquisas eleitorais e pela extraordinária recepção a nossas caravanas pelo Brasil. Todos sabem que fui condenado injustamente, num processo arbitrário e sem provas, porque seria eleito presidente do Brasil no primeiro turno. E resistimos, lançando a candidatura do companheiro Fernando Haddad, que chegou ao segundo turno pelo voto do povo.
    O que assistimos desde então foi escandaloso caixa 2 para impulsionar uma indústria de mentiras e de ódio contra o PT. De onde me encontro, preso injustamente há mais de seis meses, aguardando que os tribunais façam enfim a verdadeira justiça, minha maior preocupação é com o sofrimento do povo, que só vai aumentar se o candidato dos poderosos e dos endinheirados for eleito. Mas fico pensando, todos os dias: por que tanto ódio contra o PT?
    Será que nos odeiam porque tiramos 36 milhões de pessoas da miséria e levamos mais de 40 milhões à classe média? Porque tiramos o Brasil do Mapa da Fome? Porque criamos 20 milhões de empregos com carteira assinada, em 12 anos, e elevamos o valor do salário mínimo em 74%? Será que nos odeiam porque fortalecemos o SUS, criamos as UPAS e o SAMU que salvam milhares de vidas todos os dias?
    Ou será que nos odeiam porque abrimos as portas da Universidade para quase 4 milhões de alunos de escolas públicas, de negros e indígenas? Porque levamos a universidade para 126 cidades do interior e criamos mais de 400 escolas técnicas para dar oportunidade aos jovens nas cidades onde vivem com suas famílias?
    Talvez nos odeiem porque promovemos o maior ciclo de desenvolvimento econômico com inclusão social, porque multiplicamos o PIB por 5, porque multiplicamos o comércio exterior por 4. Talvez nos odeiem porque investimos na exploração do pré-sal e transformamos a Petrobrás numa das maiores petrolíferas do mundo, impulsionando nossa indústria naval e a cadeia produtiva do óleo e gás.
    Talvez odeiem o PT porque fizemos uma revolução silenciosa no Nordeste, levando água para quem sofria com a seca, levando luz para quem vivia nas trevas, levando oportunidades, estaleiros, refinarias e indústrias para a região. Ou talvez porque realizamos o sonho da casa própria para 3 milhões de famílias em todo o país, cumprindo uma obrigação que os governos anteriores nunca assumiram.
    Será que odeiam o PT porque abrimos as portas do Palácio do Planalto aos pobres, aos negros, às mulheres, ao povo LGBTI, aos sem-teto, aos sem-terra, aos hansenianos, aos quilombolas, a todos e todas que foram discriminados e esquecidos ao longo de séculos? Será que nos odeiam porque promovemos o diálogo e a participação social na definição e implantação de políticas públicas pela primeira vez neste país? Será que odeiam o PT porque jamais interferimos na liberdade de imprensa e de expressão?
    Talvez odeiem o PT porque nunca antes o Brasil foi tão respeitado no mundo, com uma política externa que não falava grosso com a Bolívia nem falava fino com os Estados Unidos. Um país que foi reconhecido internacionalmente por ter promovido uma vida melhor para seu povo em absoluta democracia.
    Será que odeiam o PT porque criamos os mais fortes instrumentos de combate à corrupção e, dessa forma, deixamos expostos todos que compactuaram com desvios de dinheiro público?
    Tenho muito orgulho do legado que deixamos para o país, especialmente do compromisso com a democracia. Nosso partido nasceu na resistência à ditadura e na luta pela redemocratização do país, que tanto sacrifício, tanto sangue e tantas vidas nos custou.
    Neste momento em que uma ameaça fascista paira sobre o Brasil, quero chamar todos e todas que defendem a democracia a se juntar ao nosso povo mais sofrido, aos trabalhadores da cidade e do campo, à sociedade civil organizada, para defender o estado democrático de direito.
    Se há divergências entre nós, vamos enfrentá-las por meio do debate, do argumento, do voto. Não temos o direito de abandonar o pacto social da Constituição de 1988. Não podemos deixar que o desespero leve o Brasil na direção de uma aventura fascista, como já vimos acontecer em outros países ao longo da história.
    Neste momento, acima de tudo está o futuro do país, da democracia e do nosso povo. É hora de votar em Fernando Haddad, que representa a sobrevivência do pacto democrático, sem medo e sem vacilações”.

    Luiz Inácio Lula da Silva

    Do R7


  • Art. 5°, CF

    VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;

    IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;

    Copyright @ 2014 Descobrindo as Verdades.